Família mantém segredo sobre enterro de Michael Jackson

Antonio Martín Guirado. Los Angeles (EUA), 8 jul (EFE).- Depois de uma homenagem póstuma que foi vista por milhões de pessoas em todo o mundo nesta terça-feira, o lugar onde Michael Jackson foi - ou ainda será - enterrado se transformou no segredo mais bem guardado por sua família.

EFE |

O caixão com o corpo de Michael deixou o ginásio Staples Center, onde aconteceu a grande homenagem, sem destino conhecido, e por isso ninguém sabe onde o "rei do pop" descansará eternamente.

A Polícia de Los Angeles disse que o carro fúnebre se dirigiu a um cemitério que não foi identificado, e tudo indica que não é o Forest Lawn, onde a família realizou um funeral privado antes do memorial que aconteceu no ginásio.

A oficial de Polícia April Harding comentou à emissora "Fox" que o corpo de Michael não voltaria a esse cemitério.

Os rumores sobre o enterro do rei do pop começaram logo depois da notícia de sua morte, quando se especulava que o sepultamento aconteceria no rancho de Neverland, no condado de Santa Bárbara.

Segundo a imprensa local, ainda existe a possibilidade de o astro ser cremado e suas cinzas serem espalhadas em Neverland, onde ele viveu por muito anos.

Em entrevista à emissora de TV "NBC", Jermaine Jackson, irmão de Michael, disse que Neverland seria o local ideal para isso.

"Este é seu lar, ele criou este lugar. Por que não ficaria aqui? Sinto sua presença. Adoro isso, quero que minha mãe retorne aqui e sinta o que eu sinto", disse Jermaine.

Segundo edição de hoje o jornal "Daily News", de Nova York, a mãe de Michael, Katherine, não concorda com essa ideia.

"Depende de Kate. Nada foi totalmente descartado", disse à publicação uma pessoa próxima à família.

Nos últimos dias se chegou a especular a possibilidade de o enterro ter ocorrido na noite de segunda-feira no cemitério Forest Lawn, horas antes da homenagem pública no Staples Center, e até mesmo que o caixão colocado no ginásio estivesse vazio.

O chefe da Polícia local, William Bratton, evitou comentar sobre o destino do corpo do rei do pop. "Temos de manter alguns segredos", disse.

Também ainda não se sabe com exatidão a audiência gerada pela homenagem realizada no Staples Center, mas já se sabe que o tráfego na internet subiu 19% em relação à média normal durante as horas em que aconteceu o evento.

Na transmissão do evento, o tráfego na internet chegou a ser 33% superior às médias normais, segundo a Akamai Technologies, uma empresa especializada de Massachusetts.

"Quando uma figura pública de importância mundial como Michael Jackson morre, o desejo do público de obter informação atualizada raramente se sacia totalmente", disse o vice-presidente executivo de vendas globais, serviços e marketing da companhia, Robert Hughes.

Além disso, milhões de pessoas acompanharam o funeral através de portais como o "Facebook" e o "Twitter", onde os termos mais buscados durante as horas em que durou a homenagem foram "MJ Memorial" e "Michael Jackson".

Segundo porta-vozes do "Facebook", aproximadamente 800.000 status de páginas pessoais tinham sido atualizados nos 30 minutos após o começo da homenagem de Michael.

    Leia tudo sobre: michael jacksonmorte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG