Família discute show tributo para Michael Jackson, diz produtor

Por Mike Collett-White LONDRES (Reuters) - O produtor da planejada nova temporada de shows do cantor Michael Jackson deseja que a família do Rei do Pop organize um concerto de estrelas em homenagem a Michael. Ele disse ter discutido a ideia com os familiares.

Reuters |


Randy Phillips, executivo-chefe da AEG Live, também afirmou que o cantor parecia em forma, pronto para a temporada de shows, um dia antes da sua morte, ocorrida na quinta passada, por problemas cardíacos. Michael tinha 50 anos.

"Em algum momento o mundo precisa ver essa produção, e imagino se poderíamos fazer. Seria um tributo com a família e outras estrelas que amam Michael e que foram influenciadas por ele", afirmou Phillips a um canal de TV.

"O mundo precisa ver essa produção, e ela está pronta", declarou ele, se referindo ao espetáculo que Michael e a AEG Live criaram para os shows do cantor em Londres. O primeiro estava marcado para 13 de julho.

"Estamos discutindo isso com a família, e obviamente quanto mais cedo melhor."

Sobre as alegações de que Michael Jackson não estava bem de saúde e não deveria estar ensaiando para concertos, Phillips disse que havia conversado com a estrela um dia antes da sua morte.

"Ele me deu um abraço e cochichou no meu ouvido: 'Agora sei que posso fazer isso'."

Especialistas em mercado de seguros têm dito que a AEG Live, que tem devolvido os ingressos para as 750 mil pessoas que haviam comprado os seus lugares nos shows, estão enfrentado prejuízo considerável. Phillips reconheceu que a contratação de Jackson era um risco.

"Quando você está no negócio, você assume riscos toda hora, e no caso de Michael Jackson nós avaliamos que era um risco aceitável", disse.

"Tínhamos seguro e essas coisas. Provavelmente vamos sair financeiramente bem disso, mas no momento estamos tentando fazer o melhor."

Phillips descreveu o que viu no hospital de Los Angeles para onde Michael foi levado depois de passar mal na semana passada.

"Eles o trouxeram numa maca e o puseram num quarto de emergência", contou. "Eu estava sentado numa cadeira do lado de fora da sala de operação, e eles estavam em atividade, tentando ressuscitá-lo, trabalhando duro."

"Sentado lá, parecia uma eternidade, mas passou uma hora, uma hora e meia, até que a enfermeira chegasse e dissesse que não havia mais esperança."

Ele afirmou que o médico de Michael, Carlton Murray, foi uma das pessoas que disse aos filhos do cantor que ele havia morrido.

"O olhar de medo nos rostos deles, foi difícil. Vou lembrar disso pelo resto da minha vida. Mas parece que eles estão enfrentando tudo muito bem."

Phillips acrescentou que tentou convencer Michael a não contratar Murray como médico pessoal, por causa dos custos envolvidos.

"Michael me disse 'você não entende'. 'O meu corpo é a máquina que alimenta esse negócio, e eu preciso de cuidado pessoal, e eu quero um médico 24 horas por dia que nem o presidente Barack Obama, e esse é o meu médico.'"

Assista à reportagem do New York Times sobre os bens de Jackson:

Relembre as fases da carreira de Michael Jackson; veja o vídeo:


Leia também:


A carreira de Michael Jackson


Opinião

    Leia tudo sobre: michael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG