"Não nos tratem como artistas", pede mineiro que 'roubou a cena'

Segundo trabalhador resgatado, Mario Sepúlveda disse que quer continuar sendo tratado como mineiro

Luísa Pécora, enviada a Copiapó, Chile |

Segundo mineiro a ser resgatado nesta quarta-feira da mina San José, no Chile, Mario Sepúlveda roubou a cena ao chegar à superfície com excelente humor e ânimo invejável. Em coletiva de imprensa, porém, ele falou sério e fez um pedido: "Não nos tratem como artistas. Quero que continuem me tratando como trabalhador, como mineiro", afirmou. "E espero que este acidente provoque mudanças profundas nas condições de trabalho dos mineiros."

Considerado o mais comunicativo entre os trabalhadores (foi ele quem fez a apresentação de todos no primeiro vídeo gravado dentro da mina), Sepúlveda ainda estava subindo na cápsula Fênix quando começou a gritar “Viva Chile Mierda!”.

Um integrante da equipe de resgate pediu que ele se apressasse, ao que Sepúlveda respondeu: “já vou, já vou”, provocando risos entre os presentes. Ao chegar a superfície, ele abraçou a mulher, chamou o ministro da Mineração, Laurence Golborne, de “chefão”, e distribuiu pedras da mina para ele e o presidente Piñera.

Muito animado e bem disposto, ele ainda foi até a grade de onde os resgates eram observados e comemorou com os “torcedores”.

    Leia tudo sobre: iGchilemineirosresgate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG