Mineiro resgatado deve se tornar pai nesta semana

Mãe de Richard Villarroel comemora dupla emoção: ¿meu filho nasceu da terra e agora meu neto vai nascer¿

Luísa Pécora, enviada a Copiapó, Chile |

O 28º homem a ser resgatado da mina San José, Richard Villarroel Godoy , viverá mais um momento de grande emoção nesta semana: o nascimento de seu primeiro filho deve acontecer entre terça e quarta-feira.

A mãe de Richard, Antonia Godoy, contou ao iG que está duplamente emocionada. “São dois nascimentos de uma vez: meu filho que nasceu da terra, e meu neto que vai nascer agora”, afirmou.

Richard, 26 anos, pensou que não iria sair da mina San José a tempo de assistir ao nascimento do filho, que será batizado com seu nome. Nascido em Coyhaique, ele é mecânico e trabalhava na jazida há dois anos.

No sábado, Antonia levou o filho ao acampamento Esperança, onde viveu por mais de dois meses à espera de seu resgate. Durante o passeio, ela mostrou a barraca onde dormia, refez o trajeto até o refeitório onde tomava o café-da-manhã, e levou Richard ao local onde lia as cartas que ele enviava enquanto estava preso na mina.

“Fui explicando tudo, mostrando como passei esses dois meses esperando por ele”, disse Antonia. “E ele se impressionou muito, disse que o acampamento parecia uma cidade.”

Richard não participou da missa realizada neste domingo no acampamento para ficar ao lado da mulher. Antonia foi sua representante, e chegou abraçada a uma foto do filho, que, segundo ela, desde o resgate está “calmo e feliz”.

Descrever o que sentiu ao reencontrá-lo ainda é difícil. “Não sei o que dizer além de que foi uma emoção inexplicável”, comentou.

Despedida

Neste domingo, o acampamento Esperança estava bem diferente do que costumava ser nos 70 dias que se passaram entre o acidente e o resgate. A maioria das barracas já havia sido desarmada, o refeitório e a escola estavam fechados e a sala de imprensa, sempre tão lotada, estava quase vazia.

O destino da mina San José ainda é incerto, mas o presidente chileno, Sebástian Piñera, prometeu ouvir os 33 mineiros antes de decidir se o local será fechado ou transformado em um memorial, por exemplo. A ideia agrada Antonia Godoy: “Gostaria muito que preservassem esse lugar, porque o que aconteceu aqui foi inexplicável”, afirmou. “Foi algo maravilhoso que uniu o país e o mundo.”

    Leia tudo sobre: minamineiroschile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG