Mineiro chileno é internado após 'crise emocional'

Em declarações ao "La Tercera", médico se diz preocupado com abuso de álcool por parte de alguns trabalhadores resgatados

iG São Paulo |

O mineiro Edison Peña , um dos 33 resgatados da mina San José, no Chile, teve de ser internado nesta semana por causa de uma crise emocional, informou o jornal "La Tercera" nesta sexta-feira.

"Ele apresentou um quadro de angústia severa e foi necessário sedá-lo", afirmou ao diário o médico Jorge Díaz, diretor regional da Associação Chilena de Segurança. Segundo Díaz, os motivos da crise ainda estão sendo "avaliados".

Segundo o "La Tercera", Peña foi internado na quarta-feira e recebeu alta da clínica na cidade de Copiapó nesta sexta-feira porque tinha uma viagem marcada para Santiago. Ele deve continuar o tratamento na capital chilena.

Peña, de 34 anos, é o primeiro mineiro a voltar ao hospital depois do resgate, em 13 de outubro. Na semana passada, em uma entrevista à televisão chilena, ele pareceu nervoso enquanto falava sobre a experiência de passar mais de dois meses a 700 metros de profundidade. Depois, em uma festa em homenagem aos mineiros, ele chorou muito ao tentar falar ao microfone.

Álcool

O jornal "La Tercera" também afirmou que os médicos estão preocupados com o abuso de bebidas alcóolicas por parte de algunsdos resgatados. "Cinco ou seis pessoas tiveram problemas com álcool, especialmente nas últimas festas de boas-vindas, que não têm ajudado os mineiros", afirmou Díaz.

Em entrevista à rádio ADN, o advogado dos trabalhadores, Edgardo Reinoso, questionou a rapidez com que os trabalhadores receberam alta do hospital da cidade de Copiapó. "Alguns deles não deveriam ter recebido alta, pois estão em situação muito séria do ponto de vista psicológico", afirmou. Dos 33 mineiros, 31 receberam alta cerca de 48 horas após serem internados.

Os mineiros terão de se submeter a exames médicos regulares durante os próximos seis meses. O objetivo desses exames é ajudá-los a recuperar sua saúde e guiá-los durante um difícil período psicológico, e os médicos se preocupam particularmente com doenças associadas ao estresse.

A cultura associada ao setor de mineração, onde trabalhadores são tidos como "durões", poderá ajudar alguns dos mineiros chilenos a superar seu trauma. Psicólogos alertam, no entanto, para a possibilidade de que, justamente por terem a reputação de durões, eles deixem de pedir ajuda se precisarem de apoio emocional.

Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: mineirosmina san joséchileresgate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG