Donos de mina chilena de San José pagarão mais de R$ 8 milhões ao governo

Valor, que diz respeito a parte dos gastos no resgate dos 33 mineiros em 2010, foi acordado entre empresa San Esteban e Estado chileno

iG São Paulo |

Os donos da mina chilena de San José, onde 33 mineiros foram resgatados em 2010 após permanecerem 70 dias debaixo da terra a 700 metros de profundidade, pagarão US$ 5 milhões (R$ 8,6 milhões) para contribuir com os gastos da operação de resgate dos trabalhadores, informaram nesta terça-feira fontes do Conselho de Defesa do Estado (CDE).

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre o resgate dos mineiros no Chile

O valor foi alcançado entre a empresa San Esteban, proprietária da mina e controlada por Alejandro Bohn e Marcelo Kemeny, e o CDE, que abriu um processo contra os empresários.

O governo chileno gastou US$ 22 milhões (R$ 38 milhões) no resgate dos mineiros. Após o término das operações, o Eestado ordenou que o CDE processasse os donos da San Esteban. O valor pedido inicialmente era de US$ 10,3 milhões (R$ 17,87 milhões).

O acordo final levou em conta a delicada situação financeira da companhia, cujos ativos estavam para ser liquidados no processo de falência da empresa.

Em julho do ano passado, 31 dos 33 mineiros apresentaram um processo contra o Estado por danos e prejuízos causados pelo acidente, em um valor de US$ 15,5 milhões (R$ 26,8 milhões), demanda que está em andamento.

Os mineiros alegam que a falta de fiscalização na mina por parte dos organismos públicos e a autorização permitindo seu funcionamento após um acidente anterior foram fundamentais para a tragédia ocorresse.

Reuters
Homem coloca bandeiras do Chile na entrada da mina San José, onde autoridades marcaram um ano do resgate (13/10/2011)

*Com EFE

    Leia tudo sobre: mineiros no chilecopiapóresgatesan josé

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG