Da Grécia a Graceland, mineiros do Chile recebem convites

Presentes vão de iPods e US$ 10 mil para cada um a convites para ver jogos de futebol na Europa e excursão para a Grécia

Reuters |

Os 33 mineiros resgatados na quarta-feira da mina de San José, no norte do Chile, vem recebendo o assédio típico da vida de celebridades - o que inclui convites para viagens à Grécia e a Graceland .

Após passar pelos últimos exames, os 30 mineiros ainda internados no hospital de Copiapó podem receber alta nesta sexta-feira . A previsão era de que eles ficassem internados por até 48 horas após o resgate de quarta-feira na mina, onde permaneceram presos por 70 dias a quase 700 metros de profundidade.

AP
Mineiro boliviano Carlos Mamani é cercado pela imprensa ao chegar à sua casa em Copiapó após receber alta de hospital (14/10/2010)
Na quinta-feira, o hospital para onde foram levados os 33 mineiros deu alta para três deles , que deixaram o local à noite e voltaram a suas casas, onde eram esperados por vizinhos para festejar o resgate da mina que desabou. Os mineiros que receberam alta foram Juan Illanes , Edison Peña e o boliviano Carlos Mamani , o único estrangeiros do grupo.

Os trabalhadores estabeleceram um novo recorde mundial de sobrevivência subterrânea, e a impecável operação de resgate causou uma festa nacional no Chile, além de ter sido vista por milhões de pessoas no mundo inteiro.

Na quinta-feira, entre um exame e outro, os mineiros ficaram com suas famílias e começaram a examinar a avalanche de convites e presentes à sua disposição. Edison Peña, fã de Elvis Presley, foi convidado para visitar Graceland , a mansão-museu onde viveu o "rei do rock" em Memphis, Tennesse.

"Ouvimos a notícia de que ele é um grande fã de Elvis", disse Alicia Dean, porta-voz do museu, explicando que o convite tem direito a acompanhante. A mulher dele disse que o casal ficou muito feliz, mas ainda não pensa em data para a viagem.

Muitos dos mineiros adoram futebol, e por isso Real Madrid e Manchester United os convidaram para ver os dois times jogarem na Europa.

Um extravagante cantor e empresário local resolveu dar US$ 10 mil a cada um deles; Steve Jobs, da Apple, mandou um iPod último tipo para todos, e uma empresa grega ofereceu uma excursão pelas ilhas do Mediterrâneo.

Os mineiros também devem receber ofertas de empregos, contratos publicitários e possivelmente ofertas para vender suas histórias para a realização de livros e filmes . Mas, ao menos para o mineiro Richard Villaroel , o presente mais importante será entregue em novembro, quando sua mulher deve dar à luz o primeiro filho do casal.

O trabalhador de 27 anos falou à TV local sobre o desespero que sentiu quando o desabamento reteve os mineiros dentro das galerias, em 5 de agosto - durante 17 dias, não se sabia se eles estavam vivos ou mortos. "Achei que nunca mais veria minha mulher de novo, e não veria o nascimento do meu filho."

Sobre o resgate propriamente dito, a bordo da diminuta cápsula Fênix, passando por um claustrofóbico poço de 622 metros, Villaroel foi menos dramático. "A viagem foi calma (...). Tudo foi bem preparado. Subi ouvindo música."

    Leia tudo sobre: mineiros do chilechileresgateminacopiapósan josé

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG