Cinco mineiros resgatados no Chile marcam casamento

Alguns se casarão no religioso mais de 20 anos após terem realizado a cerimônia civil

iG São Paulo |

Cinco dos 33 mineiros resgatados do Chile irão se casar na igreja e, em alguns casos, mais de 20 anos depois da cerimônia no civil, inspirados pela sobrevivência após dois meses presos numa mina em consequência de um desmoronamento.

De joelhos, os mineiros pediram suas esposas e namoradas em casamento na festa da noite de terça-feira na cidade litorânea de Caldera, no norte do Chile. Foi o primeiro evento público do grupo desde o dramático resgate na semana passada depois de 69 dias sob a terra.

"Depois desses dez anos que passamos juntos, agora é hora de nos casarmos", disse o mineiro Claudio Yañez a sua namorada, Cristina Nuñez, durante a festa realizada em uma estação de trem adaptada.

AP
O empresário Leonardo Farkas (centro)e os mineiros resgatados Mario Sepúlveda (esq.) e Carlos Mamani, durante festa


Durante o período debaixo da terra, o mineiro Esteban Rojas prometeu casar com a esposa na igreja, 25 anos após a cerimônia no civil. O pedido foi mandado à superfície em uma carta inserida dentro de um tubo de plástico usado para enviar mantimentos que mantiveram os homens vivos até serem resgatados. "Eu disse à minha esposa que se eu saísse de lá vivo, eu me casaria na igreja", disse Rojas. "Eu aceito. Eu ainda tenho a carta na qual você escreveu", disse a esposa, Jessica Yañez.

O resgate dos mineiros um a um por uma cápsula de resgate que atravessava um túnel estreito de 625 metros de cumprimento, e de largura pouco maior que a dos ombros de um homem, cativou a atenção do mundo e transformou os homens em celebridades, apesar de alguns ainda estarem enfrentando traumas psicológicos.

Presentes

Na terça-feira, a festa em homenagem aos mineiros foi organizada por um empresário que também os presenteou com uma moto cada um e um imóvel para os trabalhadores que não possuíam casa própria, entre outros itens.

O empresário Leonardo Farkas, um excêntrico milionário do setor da mineração, organizou uma faustosa festa no centro Estação Cultura de Caldera, localidade próxima à mina San José, para celebrar o sucesso da operação de resgate.

Cerca de 300 pessoas, entre os mineiros e seus familiares, todos elegantemente vestidos, compareceram à festa.

No meio da celebração, Farkas perguntou a cada um dos mineiros se tinham casa própria e os que disseram que não ganharam um imóvel. Todos foram presenteados com uma moto e os mineiros Ariel Ticona, que teve um filho há pouco tempo, e Richard Villarroel, cujo filho nasceu na terça, receberam US$ 10 mil cada um.

O empresário já havia doado um cheque de US$ 10 mil para cada mineiro, semanas depois que eles ficaram presos a 700 metros de profundidade.

O mineiro Mario Sepúlveda, o segundo a sair, fez uso da palavra e pediu aos empresários da mineração que tratem melhor seus trabalhadores. "Quero que os empresários sejam delicados e nos tratem como grandes mineiros e trabalhadores do Chile", afirmou em seu discurso.

*Com Reuters

    Leia tudo sobre: chilemineirosresgate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG