Filhos de Michael vão deixar isolamento

Um ano depois da morte do pai, Prince Michael I, Paris e Prince Michael II começarão a frequentar colégio em Los Angeles

iG São Paulo com AFP |

Getty Images
Os três filhos de Michael Jackson no funeral público em Los Angeles, no ano passado
Prince Michael, Paris e Blanket levavam uma vida discreta até que a morte repentina de seu pai, Michael Jackson, os tirou do ostracismo, tanto que, um ano depois do falecimento do Rei do Pop, os filhos frequentarão pela primeira vez uma escola. Sob os cuidados da avó, Katherine Jackson, Prince, de 13 anos, Paris, de 12, e Blanket, de 8, fizeram apenas algumas aparições públicas que sempre atraem fotógrafos curiosos por retratar os órfãos com os quais Michael passeava raras vezes e com os rostos cobertos.

A primeira aparição das crianças foi em 7 de julho do ano passado, no funeral público para o cantor celebrado no Staples Center de Los Angeles, quando os três subiram ao palco cercados pelos tios. "Papai foi o melhor pai que vocês podem imaginar", disse Paris ao falar pela primeira vez em público,  tentando conter as lágrimas. "Desde que nasci, papai foi o melhor pai que podiam imaginar e só queria dizer que o amo muito", disse a menina diante de uma silenciosa audiência antes de cair em prantos.

Em janeiro, Paris e Prince voltaram ao Staples Center para receber um Grammy póstumo pela trajetória artística do pai. "Estamos muito orgulhosos de estarmos aqui para aceitar este prêmio em nome do nosso pai, Michael Jackson", disse Prince ao público. "Primeiro, queremos agradecer a Deus por estar cuidando de nós estes sete meses e da nossa avó e avô por seu amor e apoio. Também queremos agradecer aos fãs. Nosso pai os amava muito porque sempre estavam ali para ele", continuou.

O destino das crianças se resolveu relativamente sem dramas, uma vez que Katherine Jackson foi designada pela Justiça como responsável pelas custódia dos netos, com o consentimento da mãe biológica dos dois maiores, Debbie Rowe, a segunda mulher de Michael.

Os três herdeiros de parte da fortuna de Jackson – eles recebem 60 mil dólares mensais de herança – vivem desde então em uma casa no subúrbio de Encino, norte de Los Angeles, sob os cuidados da avó de 80 anos que se propôs a dar-lhes uma vida "mais normal". "Diria que sou um pouco menos severa, mas tentei seguir a forma como Michael os estava educando", contou Katherine ao jornal britânico Mail on Sunday.

Getty Images
Paris e Prince Michael I discursaram ao receber Grammy póstumo pela carreira do pai
A avó, no entanto, disse ser mais convencional e revelou que os netos finalmente foram matriculados em uma escola, depois de terem recebido educação em casa todos estes anos. "Não têm amigos. Não vão ao colégio. Têm aulas particulares em casa. Começaram a frequentar uma escola privada em setembro pela primeira vez", afirmou. "No entanto, eles têm seus primos, tios e tias que estão constantemente ao ser redor e isto os ajudou tremendamente", disse a mãe do clã Jackson.

Segundo Katherine Jackson, as crianças viveram uma "batalha diária" para lidar com sua perda. "Eu queria pendurar quadros de flores ou bailarinas no quarto de Paris, essas coisas que eu achava que agradariam a uma menina. Mas ela foi ao seu closet e trouxe sete ou oito fotos de Michael, e me disse: 'Quero papai no meu quarto'", afirmou.

Para a avó, cada um dos três netros de Jackson a lembram de várias facetas de Michael "Paris tem essa ternura, como ele, e vejo seu talento nela. É uma artista boa, toca piano e quer ser atriz", apontou. "Prince é sério em muitos aspectos. Quer ser cinegrafista ou produzir filmes e Blanket é muito brincalhão, como era Michael", sentenciou a avó.

    Leia tudo sobre: Michael JacksonfilhosPrince MichaelParis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG