A relação de Jackson com o Brasil

Em três momentos distintos de sua carreira o astro visitou o país e deixou marcas profundas por onde passou

Guss de Lucca, iG São Paulo |

Reprodução
Michael Jackson durante a turnê do álbum Dangerous , que rendeu dois shows históricos realizados em SP
Michael Jackson fez apenas três visitas oficiais ao Brasil. Apesar de poucas, cada passagem aproximou mais o músico da realidade do país, estreitando seus laços com a cultura brasileira.

A primeira vez em que esteve no Brasil Michael era integrante do Jackson 5, grupo formado por ele e seus irmãos. A turnê de 1974 contou com apresentações em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Porto Alegre.

O cantor só retornaria ao país 19 anos mais tarde, já com sua carreira solo consolidada e aclamado como rei do pop. Michael desembarcou em outubro de 1993 para dois shows históricos realizados no Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Juntas as apresentações reuniram mais de 200 mil fãs, que até então não haviam assistido um espetáculo daquele porte, com canhões de luzes, fogos e uma enorme tela de cristal líquido.

Um fato curioso sobre essa passagem foi o atropelamento de dois fãs na saída da fábrica de brinquedos Estrela, na capital paulista. Logo que ficou sabendo que uma das vans de sua comitiva havia quebrado a perna do jovem Márcio Alberto de Paulo, na época com 15 anos, Michael organizou uma visita ao Hospital Anchieta, surpreendendo o fã e sua família.

Na ocasião o músico posou para fotos, deu autógrafos e arcou com todas as despesas de tratamento do jovem.

Reprodução
O astro durante as gravações do clipe They Don't Care About Us" nas ruas do Pelourinho, em Salvador
A última visita de Jackson ao Brasil ocorreu em 1996, quando o astro decidiu filmar o clipe da canção "They Don't Care About Us" nas ruas do pelourinho, em Salvador, e na favela Dona Marta, no Rio de Janeiro.

O vídeo, cuja música faz parte do álbum HIStory: Past, Present and Future - Book I , contou com a participação dos músicos do grupo Olodum nas cenas gravadas na Bahia - local onde uma fã conseguiu furar a barreira policial e derrubar o astro ao abraçá-lo. A cena foi utilizada na edição final do clipe.

Só no Rio de Janeiro que Jackson encontrou problemas de verdade. O governo carioca ficou com receio que as imagens nas favelas prejudicassem a imagem do Brasil no exterior e quis proibir a gravação. Mas o diretor do clipe, o cineasta Spike Lee, já havia acertado tudo com o traficante Marcinho VP, que permitiu que a equipe filmasse no morro carioca.

Mesmo não visitando mais o país, Michael utilizou cenas gravadas com índios brasileiros diante de uma floresta amazônica devastada no vídeo da canção "Earth Song", terceiro single de HIStory: Past, Present and Future - Book I .

    Leia tudo sobre: Michael JacksonBrasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG