Oficiais mexicanos apreendem oito rifles, sete armas curtas, três granadas de fragmentação e cinco veículos

Doze supostos membros do crime organizado morreram e outros sete foram detidos na sexta-feira em três tiroteios com soldados mexicanos no norte e no centro do Mégico, disseram este domingo autoridades locais e federais.

A secretaria (ministério) da defesa havia reportado, no sábado, outros seis confrontos entre militares que integram a operação antidrogas e pistoleiros em vários pontos do norte do país, nos quais morreram 15 supostos marginais.

Neste domingo, policiais foram atender a um chamado de disparos em uma região violenta da cidade de Torreón (norte), onde um dia antes foram atacados a tiros.

Soldados mexicanos chegaram para dar apoio e no "confronto, que durou uma hora e meia, seis supostos delinquentes morreram", dois foram detidos e um policial ficou ferido, disse à AFP Fernando Olivas, delegado da promotoria-geral de Justiça do estado de Coahuila, ao qual pertence Torreón (550 mil habitantes).

Também no domingo, a Defesa informou que patrulhas militares enfrentaram na sexya-feira homens armados que os teriam atacado em dois municípios de San Luis Potosí (centro), 605 km ao norte da capital mexicana.

Em um dos confrontos se deu "o falecimento de seis supostos agressores" e no total foram detidos outros cinco, reportou a secretaria, em um comunicado.

Segundo a fonte, também foram apreendidos oito rifles, sete armas curtas, três granadas de fragmentação e cinco veículos.

Dos tiroteios reportados no sábado, o mais sangrento foi o registrado no município de Valle Hermoso (nordeste), fronteiriço com o Texas (Estados Unidos), no qual morreram 10 supostos membros do crime organizado.

O governo mexicano mobilizou 50 mil militares, sobretudo no norte do país, para enfrentar as organizações de narcotraficantes, às quais atribui a maior parte dos mais de 34.600 assassinatos praticados desde o começo da ofensiva antidrogas, em 2006.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.