México reforça medidas de proteção a imigrantes ilegais no Arizona

México, 3 mai (EFE).- A Secretaria de Relações Exteriores (SRE) do México informou nesta segunda-feira que, diante da lei que criminaliza os imigrantes ilegais no estado americano do Arizona, os cinco consulados mexicanos nesse estado serão reforçados com orçamento e pessoal para proteger seus cidadãos.

EFE |

México, 3 mai (EFE).- A Secretaria de Relações Exteriores (SRE) do México informou nesta segunda-feira que, diante da lei que criminaliza os imigrantes ilegais no estado americano do Arizona, os cinco consulados mexicanos nesse estado serão reforçados com orçamento e pessoal para proteger seus cidadãos. A SRE explicou em comunicado que o vice-chanceler para a América do Norte, Julián Ventura, e o embaixador do México nos Estados Unidos, Arturo Sarukhán, visitaram Phoenix, no Arizona, ontem e hoje "para coordenar os esforços do Governo mexicano" em relação à lei estadual. Os diplomatas se reuniram com os cinco cônsules do México no Arizona, com advogados e organizações americanas que tomaram ou tomarão ações legais contra a lei e com políticos, líderes religiosos e comunitários, acadêmicos, empresários e ativistas hispânicos. A SRE acrescentou que a reunião com os cônsules teve como objetivo revisar e fortalecer o plano de ação de proteção e assistência que os consulados nas cidades Douglas, Nogales, Phoenix, Tucson e Yuma estão mobilizando a favor dos mexicanos no Arizona. Como parte desse plano, os cônsules foram informados de que a Chancelaria "transferiu recursos adicionais às verbas de proteção para fortalecer o apoio jurídico aos mexicanos no Arizona". Além disso, foi determinada a ampliação do número de funcionários dos consulados no Arizona e o fortalecimento dos consulados móveis nesse estado para atender os mexicanos em localidades mais remotas. O México diz reconhecer o direito soberano de todos os países de decidir as políticas públicas de seu território, mas manifestou preocupação ao apontar que a lei "abre espaço para critérios de discriminação racial e criminaliza o fenômeno migratório". Ventura e Sarukhán ratificaram que o Governo do México solicitará aos tribunais que receberem processos contra a lei do Arizona que lhe outorguem a qualidade de 'Amicus curiae' ('amigo da corte'), figura jurídica que permite dar informações ao juiz da causa para enriquecer seu critério de decisão. Cerca de 12 milhões de mexicanos vivem nos EUA, dos quais metade são imigrantes ilegais. A cada ano, quase 500 mil mexicanos chegam aos EUA em situação ilegal na busca de oportunidades de trabalho. Boa parte deles usa a fronteira entre Sonora (México) e Arizona depois que o Governo americano construiu nos anos 90 um muro entre a Baixa Califórnia e a Califórnia que vem se estendendo a diversos pontos dos mais de três mil quilômetros de fronteira comum. EFE gt/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG