Mendes não explica vídeo em que paga por apoio

Candidato do PSB ao governo de MT acusa adversário Wilson Santos de `manipular imagens¿

Kelly Martins, iG Cuiabá |

Diante da divulgação do vídeo em que teria pago R$ 420 mil em troca de apoio de líderes do PRTB para sua campanha à Prefeitura de Cuiabá, o atual candidato do PSB ao governo de Mato Grosso Mauro Mendes teve uma reação pífia. 

O socialista acusou seu concorrente Wilson Santos (PSDB) de manipular as imagens, além de negar a negociação mostrada por uma câmera escondida. O tucano venceu Mendes no pleito.

Segundo o candidato do PSB, “a própria Polícia Federal teria concluído que houve "edição" nos vídeos.

"Já busquei informações na polícia e está comprovado que as imagens foram montadas. Não tenho dúvidas de quem foram feitas pelo comitê da maldade formado pelo PSDB", argumentou Mendes.

Mendes, no entanto, tem se esquivado de comentar o caso e faz críticas a alguns veículos da imprensa por publicar o fato de forma distorcida.

"Não adianta eu falar sobre isso. A imprensa publica parte das entrevistas e as coisas não saem como são na verdade. Vamos esperar a conclusão da PF", declarou.

Então aliado de Mendes na eleição, o ex-governador Blairo Maggi (PR) disse, por meio de assessoria de imprensa, que prefere não comentar o assunto.

Os vídeos da negociação foram divulgados pela revista Época e cogita-se suposta participação do deputado federal Homero Pereira (PR) e do empresário Mauro Carvalho, um dos responsáveis pelo "caixa" da campanha de Mendes à prefeitura.

Atualmente, Carvalho exerce a mesma função na campanha do socialista ao Palácio Paiaguás, enquanto Homero tenta a reeleição.

A negociação ainda teria envolvido a promessa de cargos no governo, comandado pelo então governador Blairo Maggi (PR), que é candidato ao Senado. 

O inquérito, aberto pela Polícia Federal em 2008, ainda não foi concluído.

    Leia tudo sobre: Eleições MTEleições Mauro Mendes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG