Marconi vence 1º turno, mas não leva governo de Goiás

Tucano agora terá de enfrentar novamente o aliado do Planalto, Iris Rezende, que deverá contar com o apoio de Vanderlan

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

Marconi Perillo venceu o primeiro turno, mas não levou. Agora, o tucano terá de fazer um esforço redobrado para vencer novamente Iris Rezende (PMDB) no segundo turno da eleição para o governo de Goiás.

A tarefa ficou mais difícil para Marconi, pois o peemedebista terá o reforço de Vanderlan Cardoso (PR), ambos aliados arregimentados pelo Palácio do Planalto para vencê-lo a qualquer custo.

É nesse cenário que está preparado o próximo confronto.

Pela terceira vez, o senador e vice-presidente do Senado Federal Marconi Perillo (PSDB) tenta chegar ao Palácio das Esmeraldas, com possibilidade de vencer ainda no primeiro turno da eleição, a 3 de outubro.

A trajetória política de Marconi começa nos anos 80, quando atuou como militante político ao lado do Henrique Santillo, ex-ministro da Saúde no governo Itamar Franco e umas das lideranças históricas do Estado. Santillo faleceu em 1992.

No início da década de 80, Marconi Perillo foi por duas vezes presidente do PMDB Jovem de Goiás e presidente Nacional da Juventude do PMDB, além de ter sido assessor especial do governador Henrique Santillo.

Em 1990, Perillo foi eleito deputado estadual (PMDB), quando também foi coordenador da Frente Parlamentarista Ulysses Guimarães em Goiás.

Em 1994, foi eleito deputado federal pelo Partido Popular (PP), partido do qual chegou a ser presidente do Diretório Regional.

No ano seguinte, Marconi filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) chegando a vice-líder na Câmara Federal.

Em 1998, Marconi Perillo foi eleito Governador de Goiás sobre o até então favorito Iris Rezende (PMDB), reelegendo-se quatro anos depois, em primeiro turno, com 51,2% dos votos válidos.

Em outubro de 2006, Marconi foi eleito Senador da República pelo PSDB, com 2.035.564 votos – 75,82% do total de votos válidos – uma votação histórica para o Estado de Goiás.

Também em 2006, Marconi teve uma dupla vitória: o tucano conseguiu eleger o então vice-governador Alcides Rodrigues (PP) ao governo e ainda garantiu uma cadeira no Senado.

No ano seguinte, Marconi começou a sentir o distanciamento de Alcides que – embora evitasse atacá-lo – passou a afirmar ter recebido um Estado deficitário do antecessor.

O azedamento das relações entre PSDB e PP culminou num “racha” na base aliada, fazendo com que Marconi e Alcides tomassem caminhos opostos nas eleições de 2010.

Em agosto deste ano, em plena campanha eleitoral ao governo de Goiás, o tucano formou-se em Direito pelas Faculdades Alfa, de Goiânia.

Marconi Ferreira Perillo Júnior nasceu em 7 de março de 1963 em Goiânia. É
casado com Valéria Jaime Peixoto e tem duas filhas.

PMDB de Iris tem mais uma chance

A nova derrota de Iris Rezende (PMDB) na campanha para governador do Estado de Goiás é um duro golpe no partido, que precisará buscar o caminho da renovação se quiser continuar influente no Estado.

Em 2010, foi a segunda vez que Iris Rezende perdeu as eleições para Marconi Perillo.

Até o fim do próximo mandato de Marconi Perillo, o PMDB completará 16 anos fora do poder no Estado.

Iris Rezende não deve concorrer a outro cargo majoritário já que, no início deste ano, chegou a cogitar se distanciar do pleito.

Com a sua derrota este ano, de Maguito Vilela nas eleições de 2002 e 2006 e de Adib Elias ao Senado este ano, o partido mostra que os três principais nomes estão em baixa.

Iris e Maguito chegaram a cogitar uma volta ao poder estadual passando pelas maiores cidades do Estado. Iris venceu em Goiânia e Maguito em Aparecida de Goiânia, enquanto Onaide Santillo (PMDB) perdeu para Antônio Gomide (PT), hoje apoiador de Iris.

A carreira de Iris Rezende começou em 1958, quando foi eleito vereador por Goiânia. Desde então foi prefeito de Goiânia em três mandatos, deputado estadual, governador por dois mandatos, senador e ministro da Agricultura no governo José Sarney e da Justiça no governo FHC.


    Leia tudo sobre: Eleições GOEleições Marconi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG