Marconi seduz dissidentes para tentar vencer no 1º turno

Estratégia de tucano é ganhar apoio de candidatos proporcionais insatisfeitos com os seus rivais para governador

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

Líder absoluto das intenções de voto para governador – 47,3%, segundo a última pesquisa do Grupom/rádio 730 – Marco Perillo (PSDB) traçou a estratégia de cooptar dissidências para enfraquecer gradualmente seus adversários.

O objetivo é claro. Tentar vencer a eleição já no primeiro turno.

No momento, Perillo tem se aproximado de candidatos proporcionais insatisfeitos com a falta de espaço nas coligações de Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan Cardoso (PR) e fazê-los desistir da candidatura.

O movimento mais recente neste sentido foi a desistência de dois integrantes do Partido Verde, insatisfeitos com a falta de apoio de Vanderlan a Marina Silva (PV).

A inclusão dos dissidentes no rol de apoio ao tucano não traz a ele quantidade significativa de votos.

A vantagem da iniciativa é a desestabilização dos adversários.

Outro exemplo desta estratégia já aconteceu no último mês, quando o PSDB inaugurou um comitê de dissidentes do PMDB.

No entanto, o presidente regional do PSDB, deputado Daniel Goulart, afirmou que não haverá abertura de comitê para dissidentes do PV ou para apoio a Marina Silva em Goiás.

“Não tem nem como contabilizar este tipo de gasto de campanha, já que não estamos coligados com ela”, explica Daniel.

A respeito do apoio do PV, Daniel não considera que seja um movimento eleitoreiro. “A adesão deles é bem-vinda, como a de qualquer partido. Só não podemos realizar gastos de campanha com eles”, repete.

    Leia tudo sobre: Eleições GOEleições Marconi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG