Manifestantes atiram moedas em deputados estaduais de MS

Durante sessão da Assembleia, população cobra solução urgente para denúncias de corrupção na Casa

Alessandra Messias, iG Campo Grande |

Revoltados pela divulgação do vídeo em que o deputado estadual Ary Rigo (PSDB) revela um esquema de corrupção na Assembleia Legislativa do Estado, líderes sindicais atiraram moedas na direção dos parlamentares, durante a sessão de hoje.

Além do protesto, os manifestantes cobram que a Assembleia abra investigação urgente para apuração das denúncias.

Um dos alvos da manifestação foi o primeiro secretário da instituição, Ary Rigo (PSDB), que aparece nas imagens revelando detalhes de um suposto esquema ilegal de pagamentos com o dinheiro da instituição que favoreceu deputados, desembargadores do Tribunal de Justiça e procuradores do MPE (Ministério Público Estadual) de MS.

Do lado de fora o apitaço contou com nariz de palhaço, roupas pretas e faixas contra a corrupção descoberta no estado e depois, os manifestantes seguiram para o prédio do MPE.

Na sessão, o presidente da Assembléia, Jerson Domingos (PMDB-MS), foi vaiado por cerca de 3 minutos pelos manifestantes e irritado tentou pedir silêncio. Aos gritos de protesto, e chamado de ‘ladrão’ e tendo atirado sobre ele moedas, o parlamentar acabou encerrando a sessão.

Os manifestantes empunharam faixas, cartazes e bandeiras onde se lia explicitamente "Fora Puccinelli e cambada de ladrão".

No percurso, os protestantes entoaram palavras de ordem contra os parlamentares e a manifestação deve se estender durante a caminhada programada para este sábado. A Polícia Militar foi acionada para acompanhar as manifestações e evitar depredações.

O corregedor-candidato da Assembléia Legislativa, deputado Maurício Picarelli (PMDB), destaca que depois de ouvir as partes envolvidas, será elaborado relatório ao Conselho de Ética da Assembléia e, por se tratar de ano eleitoral, "o cuidado será redobrado, para evitar injustiças".

O representante da CUT, Alexandre Costa, entregou ao MPE e à Polícia Federal documento que pede investigação exemplar.

O motivo do protesto foram os vídeos gravados por Eleandro Passaia em que o deputado Ary Rigo relata que o recebimento de uma mesada de R$ 2 milhões, dividida entre o governador Puccinelli (PMDB), deputados estaduais, desembargadores do Tribunal de Justiça e promotores do Ministério Público do Estado.

"Lá na Assembleia nenhum deputado ganhava menos de 120 mil reais (52,5 mil euros por mês). Agora (com a vigência da lei da transparência) vão ter que se contentar com 42 mil (reais)", diz Rigo no vídeo, completando que o governador recebia "milhões".

Eleandro Passaia denunciou também um esquema de corrupção em Dourados (MS), levando à prisão o prefeito, presidente da Câmara Municipal, vereadores e outros políticos da cidade. Ao todo, 61 pessoas foram acusadas de envolvimento no esquema de corrupção de Dourados.


Arte/iG
População manifestou indignação com as denúncias de corrupção envolvendo parlamentares da Assembleia de MS

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG