Japão confirma que água radioativa de Fukushima vazou para o mar

Operadora da usina de Fukushima, Tepco afirma que o nível radiação que se espalha no Oceano Pacífico é elevado

EFE |

Tóquio - Especialistas da Tepco, operadora da usina nuclear de Fukushima, confirmaram neste sábado que vazou ao mar uma quantidade de água com elevado nível de radioatividade procedente do reator 2 da central que sofreu danos após o forte terremoto de 9 graus de magnitude atingiu a costa nordeste do Japão no dia 11 de março, provocando um tsunami com ondas de ao menos sete metros em cidades na região norte do país.

O líquido vaza através de uma rachadura de cerca de 20 centímetros no muro de uma fossa próxima ao reator na qual há água contaminada com profundidade entre 10 e 20 centímetros. Após detectar a rachadura e a fim de conter o vazamento, os operários que trabalham em Fukushima se preparam para verter cimento no local.

As fontes da Tepco indicaram que o nível de radioatividade alcançou mais de 1 mil milisievert por hora no local. A operadora investiga se há outros vazamentos de água radioativa ao Oceano Pacífico, depois que nos últimos dias foram detectados níveis de radioatividade muito superiores aos limites legais nas águas litorâneas próximas à usina nuclear de Fukushima.

As operações para conter o vazamento se somam aos esforços para drenar a água altamente radioativa em várias áreas das unidades 1, 2 e 3, o que dificulta as tarefas para restaurar o resfriamento dos reatores.

    Leia tudo sobre: JAPÃONUCLEAR

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG