Iris e Marconi atacam governo Alcides Rodrigues

Estratégia de ambos é evitar o crescimento do candidato oficial, Vanderlan, nas pesquisas

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

Após uma breve trégua, o início da segunda semana de propaganda eleitoral no rádio e TV foi marcado por ataques contundentes de Marconi Perillo (PSDB) e Iris Rezende (PMDB) contra a gestão do governador Alcides Rodrigues.

Mas o verdadeiro alvo dos ataques é o candidato do governador, Vanderlan Cardoso (PR).

Tanto o tucano quanto o peemedebista seguiram essa estratégia com o objetivo de consolidar suas posições nas pesquisas, em que aparecem no primeiro e segundo lugares, respectivamente.

Na última pesquisa, Vanderlan obteve 5% de intenção de votos. O percentual seria suficiente para levar Marconi Perillo, hoje com 45%, à vitória no primeiro turno, segundo previu, na semana passada, pesquisa de intenção de voto Ibope/TV Anhanguera, .

Já Iris Rezende, com 34% na pesquisa, tenta associar negativamente Marconi a Alcides – e consequentemente Vanderlan – para conquistar votos do republicano e permanecer com chances de ir ao segundo turno contra Marconi Perillo.

A posição de Vanderlan não é nada fácil, uma vez que o candidato, pelo terceiro dia consecutivo de propaganda eleitoral, ainda não apresentou propostas e evitou atacar adversários. No rádio, ele afirmou ser "o candidato educado".

Entre as críticas, Marconi e Iris apontaram falhas da atual gestão da Saúde, oferecendo propostas similares entre si.

Vice-governador nos mandatos de Marconi Perillo (99-2006), Alcides foi atacado indiretamente quando o programa do tucano apresentou depoimentos de pessoas que aguardam cirurgias há anos.

É a primeira vez na campanha que o tucano mira o governador. Até então, o alvo se limitava ao ex-prefeito de Goiânia.

Marconi apresentou como proposta a criação de um Centro de Recuperação de Dependentes Químicos e a construção de um hospital na região Noroeste de Goiânia.

O tucano também disparou contra Iris: “Anote aí (as propostas para a Saúde), porque outros candidatos vão querer copiar”, afirmou o apresentador do programa de Marconi.

Ele aproveitou para criticar a proposta do peemedebista, de distribuição de netbooks a alunos e professores. “Pirataria é crime”, afirmou Marconi.

No programa de rádio, Iris Rezende também focou a Saúde e atacou Alcides e Marconi ao falar da má qualidade dos serviços nos últimos 12 anos.

O peemedebista também propôs a construção de um hospital na região Nroeste, além da implantação de  outras seis unidades espalhadas pelo Estado.

Sem responder às críticas de Marconi, Iris disse que a distribuição de computadores por R$ 550 a unidade a 600 mil alunos e 37 mil professores terá um custo de R$ 350 milhões, mediante financiamento do BNDES.

Embora afirme ser “parceiro de Dilma em Goiás“, Iris Rezende ainda não conseguiu trazer a presidenciável petista aos palanques goianos. A expectativa do PT-GO é de trazer a ex-ministra ao Estado até a primeira semana de setembro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG