Xerife do Arizona diz que não vai cessar batidas contra imigrantes ilegais

Afirmação é feita após juíza decidir bloquear partes de polêmica lei de imigração de Estado, que entra em vigor na quinta-feira

EFE |

O xerife do condado de Maricopa, no Estado americano do Arizona, Joe Arpaio, afirmou nesta quarta-feira que continuará a promover batidas contra imigrantes ilegais apesar da sentença judicial federal que bloqueia parte da lei que criminaliza a imigração irregular no Estado .

AP
Imigrantes se abraçam durante comemoração de decisão de juíza de bloquear partes da lei de imigração do Arizona
"A juíza (Susan Bolton) emitiu sua sentença, mas não vai afetar nossas operações. Nada mudou em nossa luta contra a imigração ilegal", disse Arpaio durante uma movimentada entrevista coletiva em seu gabinete em Phoenix, capital do Estado do Arizona.

"Se a pessoa estiver aqui de forma ilegal, a entregaremos às autoridades de Imigração e Alfândegas", enfatizou Arpaio, que já tinha ordenado a ampliação da prisão de Tent City, na qual os detidos são mantidos a temperaturas que chegam a 60°C.

A juíza federal Susan Bolton vetou as partes mais polêmicas da lei SB1070 , promulgada pela governadora do Arizon, a republicana Jan Brewer, em 23 de abril deste ano. Os protestos marcados para quinta-feira em Phoenix serão "uma boa prova" da eficácia da sentença, disse Arpaio. "Será surpreendente se (os imigrantes ilegais) comparecerem com semelhante publicidade", declarou o xerife.

Arpaio disse que seus agentes realizarão na quinta-feira a 17ª operação para a "supressão do crime" desde março de 2008, sem se importar com a sentença federal. O xerife insistiu que seus subordinados estão capacitados para prender os imigrantes ilegais em função de certos "critérios", como não portar os devidos documentos migratórios e povoar "áreas onde prevalece" a população ilegal.

Segundo o gabinete do xerife, as últimas 16 operações detiveram quase mil imigrantes, dos quais 600 estavam em situação ilegal. Arpaio disse que conta com 800 agentes capacitados pelo Departamento de Segurança Nacional americano, 3 mil voluntários e 2 mil oficiais nos centros de detenções.

Desde o final de 2006, segundo ele, as operações policiais detiveram 40 mil imigrantes ilegais. Arpaio também fez uma advertência aos milhares de ativistas que começaram a chegar nesta quarta-feira da Califórnia em solidariedade com a comunidade imigrante no Arizona e afirmou que, "se vão bloquear (a entrada) em minhas prisões, vão terminar na prisão".

A sentença federal impede, por enquanto, a polícia de prender suspeitos de ser imigrantes ilegais para sua eventual deportação. Também fica em suspenso a aplicação de outra seção da lei SB1070 que obriga os imigrantes a portar os documentos que comprovam seu status legal no Arizona. Da mesma forma, não entra em vigor o trecho que transformava em delito pedir emprego em lugares públicos. Os fragmentos da lei que foram reprovados ficarão em suspenso até que os tribunais federais se pronunciem sobre sua constitucionalidade.

    Leia tudo sobre: euaimigraçãoArizonaobamademocratasrepublicanos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG