Senado dos EUA adia debate sobre reforma para jovens ilegais

Projeto abre caminho para concessão de cidadania a imigrantes ilegais que cheguem ao país antes dos 16 anos

AFP |

O Senado americano decidiu adiar nesta quinta-feira o debate sobre um projeto de reforma migratória em benefício de jovens ilegais, para poder examinar a versão legislativa que a Câmara de Representantes aprovou na véspera.

Por 59 votos a favor e 40 contra, os senadores decidiram eliminar a proposta do líder da maioria democrata, Harry Reid (Nevada), de seu projeto do denominado Dream Act (Lei dos Sonhos, em tradução livre) para passar a considerar o projeto da Câmara de Representantes, que foi aprovado na quarta-feira.

Com essa manobra legislativa, o Senado examinará um texto pronto em sua totalidade que, se for aprovado, passará diretamente à sanção do presidente Barack Obama.

No entanto, a aprovação do Dream Act não está garantida, pois os senadores republicanos reiteraram no debate prévio à votação que não precisarão do que qualificam de "anistia para ilegais".

Com seus 42 votos, os republicanos podem bloquear o exame do Dream Act na versão dos representantes. Os democratas precisam de 60 votos no Senado para aprovar o projeto. O debate poderá ocorrer na semana que vem, explicaram fontes legislativas democratas.

O Dream Act, acrônimo em inglês de Lei de Desenvolvimento, Ajuda e Educação de Menores Estrangeiros, proporcionaria status migratório condicional às pessoas que vieram aos EUA antes de completar 16 anos, viveram cinco anos consecutivos antes da data da colocação em vigor da lei e tinham menos de 30 anos na data de entrada em vigor.

    Leia tudo sobre: euaimigraçãoimigração nos EUAdream act

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG