Em comunicado, presidente dos EUA disse que 'é o momento para que a retórica polarizada desapareça da cena nacional'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, qualificou neste sábado de "incrivelmente decepcionante" o voto do Senado americano contra o Dream Act, um projeto de lei que busca a legalização de estudantes imigrantes no país.

"É um voto incrivelmente decepcionante, uma minoria de senadores impediram o Senado de fazer o que a maioria acha que é melhor para o país", afirmou Obama em comunicado. "É decepcionante que o bom senso não tenha prevalecido hoje", acrescentou o presidente, que insistiu que seu Governo não cessará em seus esforços para aprovar o Dream Act.

"O povo americano merece um sério debate sobre imigração e é o momento para que a retórica polarizada desapareça da cena nacional", afirmou.

Os patrocinadores do projeto precisavam de 60 votos para proceder à votação, mas só 55 senadores votaram a favor, enquanto 41 se mostraram contra, o que significa que a iniciativa já não será aprovada este ano.

O Dream Act propõe uma via para a cidadania de jovens imigrantes ilegais que chegaram aos EUA com menos de 16 anos de idade e viveram de forma contínua no país durante pelo menos cinco anos, entre outros requisitos, como cursar dois anos de universidade e inscrever-se nas Forças Armadas.

O fracasso da iniciativa supõe um duro revés para a Casa Branca e para os grupos pró-imigrantes que tinham advogado a favor da medida.

Os reitores de mais de 73 universidades do país também respaldaram a iniciativa e quase 400 professores universitários que estudam temas relacionados com a imigração assinaram um comunicado apoiando o projeto de lei.

Altos funcionários da Casa Branca como Barack Obama se pronunciaram a favor do Dream Act.

O secretário de Educação de EUA, Arne Duncan, declarou na sexta-feira que, a aprovação do projeto representaria "um tremendo benefício ao país com a contribuição de milhares de jovens estudantes".

Em geral, os republicanos se queixam que o Dream Act é uma violação às leis de imigração.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.