Justiça dos EUA, no entanto, manteve direito de polícia checar status de imigrantes suspeitos de estarem ilegalmente no país

A Suprema Corte dos Estados Unidos considerou inconstitucional parte da polêmica lei de imigração do Arizona , um assunto polêmico que coloca em posições opostas os candidatos à presidência Barack Obama e Mitt Romney .

Governo Obama: EUA impedirão deportação de jovens imigrantes ilegais

Entenda: Veja o especial iG sobre imigração nos EUA

Ao considerar partes da lei inconstitucionais, a mais alta corte americana manteve, entretanto, o direito de policiais em checar o status de suspeitos de estarem nos EUA ilegalmente. A decisão mantém a obrigatoriedade de suspeitos terem de mostrar vistos e autorizações, mas veta aos policiais o direito de prender imigrantes.

Ativistas contrários à lei de imigração americana do Puente Movement, em Phoenix, Arizona
AP
Ativistas contrários à lei de imigração americana do Puente Movement, em Phoenix, Arizona

Das quatro contestações feitas pela administração Obama sobre a polêmica lei, três foram acatadas pela corte. Além de derrubar o direito de policiais deterem suspeitos de serem ilegais, a Corte derrubou a cláusula sobre a obrigatoriedade do imigrante em carregar consigo documentação sobre seu status e o tópico sobre a criminalização de imigrantes sem documentação se candidatar a um emprego.

Cerne

Para a governadora do Arizona, Jan Brewer, no entanto, o "coração" da lei foi mantido.

Candidatos à eleição de novembro, Obama e Romney batalham pelos votos hispânicos, que podem definir nas urnas o vencedor.

Leia também: Número de eleitores hispânicos não reflete sua força política 

Logo após o anúncio da decisão, Romney reagiu rapidamente, criticando Obama por não ter alcançado uma reforma nacional de imigração. Em comunicado, o republicano disse que cada Estado americano tem “a obrigação – e o direito – de proteger as nossas fronteiras e preservar o Estado de Direito”.

Obama se mostrou satisfeito com a decisão, mas mostrou-se "preocupado" com o impacto dos controles policiais. "Nenhum americano deveria viver sob suspeita apenas por seu aspecto", advertiu o presidente democrata. Segundo o presidente, a decisão da corte “deixa absolutamente claro que o Congresso deve aprovar uma reforma migratória integral".

Saiba mais: Veja o especial do iG sobre as eleições nos EUA

O julgamento feito pela Suprema Corte ocorre depois de o governo Obama alegar que a polêmica lei de imigração do Arizona infringia direitos fundamentais. Os Estados do Alabama, Geórgia, Indiana, Carolina do Sul e Utah adotaram variações da lei do Arizona.

Além de julgar a constitucionalidade da lei de imigração do Arizona, a Suprema Corte americana agendou para quinta-feira um pronunciamento sobre a reforma de saúde proposta por Obama.

*Com BBC e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.