Procedimento também poderá ser feito em qualquer uma das 32 prefeituras regionais da cidade, e não apenas na Gerência Comercial, informou a CET

Desde o dia 5 de dezembro de 2016, apenas a Zona Azul Digital é aceita nos estacionamentos rotatvios de São Paulo
Cesar Ogata/Secom
Desde o dia 5 de dezembro de 2016, apenas a Zona Azul Digital é aceita nos estacionamentos rotatvios de São Paulo

O prazo para troca e reembolso da Zona Azul em folhas de papel, que ia ser encerrado no próximo dia 31, foi prorrogado até 31 de março de 2017 pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). O procedimento também poderá ser feito em qualquer uma das 32 prefeituras regionais da cidade, e não apenas na Gerência Comercial da companhia.

LEIA MAIS: Veículo com mais de R$ 5 milhões em multas é apreendido em São Paulo

Em nota divulgada nesta sexta-feira (27), a CET informa que as folhas de papel da Zona Azul ainda passaram por perícia antes de ser efetuado o reembolso. “O munícipe receberá uma mensagem, via SMS, com as informações do andamento desta solicitação”, afirma a companhia.

O valor dos talões poderá ser creditado em conta corrente ou transformado em crédito nos aplicativos de estacionamento rotativo credenciados pela CET. Entretanto, a quantidade máxima aceita nas prefeituras regionais será de cinco talões ou 50 folhas. Os demais casos são aceitos na Gerência Comercial, que fica na Rua Senador Feijó, no centro da capital.

Zona Azul Digital

Desde o dia 5 de dezembro de 2016, apenas a Zona Azul Digital é aceita em São Paulo.  Para não levar multa ao estacionar em uma vaga rotativa, o motorista precisa baixar um dos aplicativos aprovados pela CET – é possível conferir a lista no site da companhia.

A pessoa realiza um cadastro com login (CPF/CNPJ), senha, dados pessoais e placa dos veículos. Ao estacionar, é preciso informar no app a placa do veículo e o tempo do cartão de acordo com as placas de sinalização e permanência no local. É possível renovar o período mesmo longe do carro.

LEIA MAIS: Justiça de São Paulo permite que prefeitura aumente a velocidade nas marginais

A forma de pagamento mais comum é usando um cartão de crédito, mas já existem apps que aceitam os de débito ou boleto bancário.

Não quero usar o aplicativo

Os motoristas também optar pela compra de créditos em pontos de venda cadastrados pela CET. Os endereços estão listados no site da companhia. O valor continua o mesmo de antes da proibição da folha de papel: R$ 5. É permitido usar no máximo dois cartões para ficar em uma mesma vaga.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.