Há "forte consenso científico" sobre ligação do zika com a microcefalia, diz OMS

Órgão reitera que indícios de associação são cada vez maiores; relação com a Síndrome de Guillain-Barré também é grande
Foto: DIEGO HERCULANO/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Algumas mães que foram picadas pelo Aedes e infectadas com zika tiveram bebês microcéfalos

Pesquisadores estão realmente convencidos de que o zika vírus possui ligação com os casos de microcefalia em recém-nascidos e com a Síndrome de Guillain-Barré (SGB), raro problema neurológico que pode enfraquecer músculos e causar paralisia, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira (21).

"Com base em observações, estudos de grupo e controle de casos, há um forte consenso científico de que o zika vírus é uma causa da GBS, microcefalia e outros distúrbios neurológicos", disse o órgão em sua atualização semanal sobre o vírus.

O zika vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti , mesmo transmissor da dengue e febre chikungunya. Em 80% dos casos, os infectados não têm sintomas – que costumam ser febre, manchas vermelhas na pele e dor no corpo. Ainda não há um tratamento específico para a doença, ou seja, ele é apenas sintomático – o médico receita remédios para tratar os sintomas.

Saiba mais sobre o zika vírus e a microcefalia na galeria abaixo:


Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/igvigilante/2016-03-31/ha-forte-consenso-cientifico-sobre-ligacao-do-zika-com-a-microcefalia-diz-oms.html