Cidade do interior de SP tem primeiro caso confirmado de zika vírus

Por Estadão Conteúdo |

compartilhe

Tamanho do texto

Paciente de 36 anos, morador de Dracena, no oeste paulista, foi diagnosticado com o vírus durante tratamento de leucemia

Estadão Conteúdo

Zika vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, também vetor da dengue e chikungunya
iStock
Zika vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, também vetor da dengue e chikungunya

A Secretaria de Saúde de Dracena, cidade de 45,8 mil habitantes no oeste paulista, confirmou o primeiro caso oficial de zika vírus. Até então, a região tinha apenas casos suspeitos da doença. O vírus foi diagnosticado em um paciente de 36 anos que estava internado no Hospital Regional de Presidente Prudente. O doente fazia tratamento para leucemia quando apresentou os sintomas do zika.

De acordo com o secretário Nelson Antonio Bortolatto, outros dois casos da doença foram diagnosticados na rede particular de saúde e informados à prefeitura. "Como não houve exame em laboratório do Adolfo Lutz, esses casos não são considerados oficiais", disse.

Ainda conforme o secretário, também foram registrados dois casos de chikungunya, mas o diagnóstico foi feito em hospitais particulares, sem a confirmação oficial. A cidade fica na região de Presidente Prudente, que enfrenta uma escalada de casos de dengue e também registrou um caso suspeito de zika. Um jovem de 17 anos, que morreu após diagnóstico da Síndrome de Guillain-Barré, pode ter apresentado o vírus, mas os exames ainda estão sendo feitos.

Em Bastos, na mesma região, três moradores apresentaram sintomas da doença depois de viajar para regiões endêmicas, este ano. A Vigilância em Saúde do município colheu material e enviou para o Instituto Adolfo Lutz, mas os resultados não ficaram prontos.

Também foi registrado o primeiro caso suspeito de chikungunya – o paciente viajou para o Nordeste. Em Paraguaçu Paulista, embora não haja casos confirmados de zika, o Departamento de Saúde do município está aconselhando as mulheres que pretendem engravidar a adiarem os planos, pois "teme-se que o vírus se espalhe ainda mais rápido".

Veja também: Está grávida? 10 cuidados para se proteger do zika vírus

A melhor forma de combater o zika vírus é eliminar o mosquito transmissor da doença: o Aedes aegypti. Ou seja, é preciso acabar com todos os possíveis criadouros do Aedes.. Foto: iStockAs grávidas, mesmo no verão, devem usar roupas compridas, para que o mosquito Aedes aegypti não entre em contato com a pele. Foto: BBC (arquivo)É preciso também evitar se expor a grandes áreas, principalmente lugares com jardins e mato, onde o mosquito pode se proliferar mais.. Foto: DivulgaçãoOutra forma eficaz de se prevenir contra o Aedes aegypti é passando o repelente. Aqueles que têm Icaridina e DEET são os mais eficientes.. Foto: iStockAlém disso, fique esperta com o tempo de duração do repelente. É preciso reaplicar algumas vezes ao dia para não ficar desprotegida. Foto: iStockO mosquito costuma picar mais no início da manhã e no fim da tarde, então o ideal é ficar dentro de casa nesses períodos do dia.. Foto: Divulgação/CCBMPrefira roupas claras. O Aedes aegypti tem fotofobia, ou seja, aversão à luz, então as roupas claras são as mais indicadas para quem quer evitar a picada do mosquito.. Foto: Getty ImagesTambém é importante, com a ajuda de uma esponja, limpar os potinhos de água de seus bichos de estimação duas vezes por semana. O Aedes aegypti pode depositar ovos nas suas laterais. . Foto: iStockInstale telas de proteção e mosquiteiros na sua casa, para evitar picadas do Aedes aegypti. Foto: iStockFuja de perfumes fortes: odores mais concentrados atraem o mosquito . Foto: Divulgação


Leia tudo sobre: igvigilantezika vírusmicrocefaliaigspsão paulo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas