Gestantes contraíram a doença durante viagem ao exterior; vírus tem relação ao aumento dos casos de microcefalia

Grávida que for picada pelo Aedes aegypti e contrair zika pode ter chance de ter filho microcéfalo
NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDO
Grávida que for picada pelo Aedes aegypti e contrair zika pode ter chance de ter filho microcéfalo

O Estado da Flórida, nos Estados Unidos, confirmou três infecções por zika vírus em mulheres grávidas, informou o departamento de saúde local nesta quinta-feira (24). Com isso, o total de casos confirmados do vírus neste local passa a ser 32. De acordo com o órgão, as três gestantes foram infectadas durante viagem ao exterior e tiveram teste positivo para a doença após retornarem à Flórida.

Diante do anúncio, o governador do Estado, Rick Scott, solicitou ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) o envio de 250 testes adicionais para detecção de anticorpos contra o zika.

O vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, também vetor da dengue e febre chikungunya. A doença está associada ao aumento dos casos de microcefalia em bebês no Brasil e também tem relação com a Síndrome de Guillain-Barré, condição neurológica que provoca fraqueza muscular e pode gerar paralisia em alguns membros do corpo, podendo levar o paciente à morte.

*Com Agência Brasil

Veja também: Está grávida? 10 cuidados para se proteger do zika vírus


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.