Segundo o Ministério da Saúde, reunião entre países deve promover pesquisas para diagnóstico e controle da doença

Brasil e Estados Unidos se reuniram nesta quinta para desenvolver pesquisas sobre o zika vírus
Thamyres Ferreira/Ministério da Saúde
Brasil e Estados Unidos se reuniram nesta quinta para desenvolver pesquisas sobre o zika vírus

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, se reuniu na tarde desta quinta-feira (18) com a embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayalde, para tratar da epidemia de zika vírus no País. O encontro bilateral, segundo o ministério, tem como objetivo intensificar a cooperação entres as duas nações para o desenvolvimento de pesquisas para diagnóstico, controle, vacina e tratamento contra a infecção.

"É uma parceria natural e trabalharemos juntos para produzir resultados que beneficiem o mundo inteiro", declarou Liliana durante a reunião. "Temos de combater o zika e as outras ameaças de maneira coordenada."

A previsão é que o debate ocorra durante todo o dia e seja retomado nesta sexta-feira (19), na sede da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), em Brasília. Ao final do encontro, as autoridades de ambos os países devem elaborar um plano de trabalho geral com cronograma de atividades em relação às ações de resposta à epidemia e, também, aos casos de microcefalia possivelmente associados ao vírus.

Técnicos do Centro de Controle e Prevenção de Doenças Transmissíveis dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), iniciaram nesta semana um estudo de caso controle de microcefalia relacionada ao zika na Paraíba. O objetivo é estimar a proporção de recém-nascidos com a malformação associada à infecção, além do risco apresentado pelo vírus.

O zika vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti , também vetor da dengue e febre chikungunya, e está associado aos casos de microcefalia em bebês e à Síndrome de Guillain-Barré, condição neurológica que provoca fraqueza muscular e pode gerar paralisia em alguns membros do corpo, podendo levar o paciente à morte.

*Com Agência Brasil

Veja mais: Cuidados que você precisa ter para evitar que o Aedes aegypti nasça


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.