Tamanho do texto

Organização identificou 15 companhias que trabalham no desenvolvimento de uma vacina para o zika vírus

Agência Brasil

Brasil é o país mais atingido no mundo pela zika, com 1,5 milhão de doentes e três mortes
iStock
Brasil é o país mais atingido no mundo pela zika, com 1,5 milhão de doentes e três mortes


A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou nesta sexta-feira (12) que uma vacina para o zika vírus, que pode estar relacionado com casos de microcefalia e problemas neurológicos, não vai estar disponível para ensaios clínicos antes dos próximos 18 meses.

“Apesar do cenário encorajador, as vacinas vão demorar pelo menos 18 meses para poderem estar prontas para um ensaio [clínico] em larga escala”, disse Marie-Paule Kieny, vice-diretora da OMS encarregada do departamento de Sistemas de Saúde e Inovação.

A vice-diretora acrescentou ainda que a organização identificou 15 companhias que trabalham no desenvolvimento de uma vacina para o zika.

A Organização Mundial de Saúde declarou, no início de  fevereiro, emergência de saúde internacional devido à possível relação entre os casos de microcefalia em recém-nascidos registados no Brasil com o zika vírus, apesar de declarar que esta ligação ainda não foi provada cientificamente.

Transmitido pela picada de mosquitos Aedes aegypti , o Brasil é o País mais atingido no mundo pela epidemia de zika, com 1,5 milhão de doentes e três mortes confirmadas, seguido da Colômbia (22,6 mil casos).

Veja os cuidados para combater o zika vírus