Casos de zika na Colômbia passam de 22,6 mil; país é o segundo mais infectado

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Do total de pessoas infectadas, 2.824 são mulheres grávidas; autoridades estimam que 600 mil contraiam vírus este ano

Mosquito Aedes aegypti é responsável por transmitir a dengue, o zika vírus e a chikungunya
iStock
Mosquito Aedes aegypti é responsável por transmitir a dengue, o zika vírus e a chikungunya

O último boletim epidemiológico do Instituto Nacional de Saúde da Colômbia, divulgado neste sábado (6), aponta que 22.612 casos de zika vírus foram registrados no país. Desse número de pessoas infectadas, 2.824 são mulheres grávidas.

Segundo o balanço, só em janeiro quase 11 mil pessoas foram infectadas na Colômbia, segundo país da América Latina com maior número de notificações, atrás somente do Brasil. Nesta sexta-feira (5), o Instituto confirmou as três primeiras mortes causadas pelo zika vírus no país. 

Segundo jornais locais, o vírus está presente em 205 municípios da Colômbia, a maioria na região central e uma boa parte no Caribe. A cidade de Barranquilha registrou na última semana de janeiro 2.389 casos. Dessas ocorrências, 1.331 foram confirmadas por meio de exames em laboratórios.

Do total de notificações, 64,8% são em mulheres. A preocupação no país aumenta, já que o zika vírus está associado ao aumento dos casos de microcefalia em bebês no Brasil. Em janeiro, as autoridades colombianas pediram para que casais adiassem o planejamento de ter filhos. Nesta sexta, a ONU (Organização das Nações Unidas) pediu para que países infectados com o vírus autorizem o aborto.

Na Colômbia, há uma previsão de que mais de 600 mil pessoas contraiam a doença. O vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, vetor também da dengue e febre chikungunya.

Veja também: Está grávida? 10 cuidados para se proteger do zika vírus

A melhor forma de combater o zika vírus é eliminar o mosquito transmissor da doença: o Aedes aegypti. Ou seja, é preciso acabar com todos os possíveis criadouros do Aedes.. Foto: iStockAs grávidas, mesmo no verão, devem usar roupas compridas, para que o mosquito Aedes aegypti não entre em contato com a pele. Foto: BBC (arquivo)É preciso também evitar se expor a grandes áreas, principalmente lugares com jardins e mato, onde o mosquito pode se proliferar mais.. Foto: DivulgaçãoOutra forma eficaz de se prevenir contra o Aedes aegypti é passando o repelente. Aqueles que têm Icaridina e DEET são os mais eficientes.. Foto: iStockAlém disso, fique esperta com o tempo de duração do repelente. É preciso reaplicar algumas vezes ao dia para não ficar desprotegida. Foto: iStockO mosquito costuma picar mais no início da manhã e no fim da tarde, então o ideal é ficar dentro de casa nesses períodos do dia.. Foto: Divulgação/CCBMPrefira roupas claras. O Aedes aegypti tem fotofobia, ou seja, aversão à luz, então as roupas claras são as mais indicadas para quem quer evitar a picada do mosquito.. Foto: Getty ImagesTambém é importante, com a ajuda de uma esponja, limpar os potinhos de água de seus bichos de estimação duas vezes por semana. O Aedes aegypti pode depositar ovos nas suas laterais. . Foto: iStockInstale telas de proteção e mosquiteiros na sua casa, para evitar picadas do Aedes aegypti. Foto: iStockFuja de perfumes fortes: odores mais concentrados atraem o mosquito . Foto: Divulgação



compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas