Por telefone, Dilma e Obama discutem vacina contra zika

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Presidentes de Brasil e EUA se comprometeram em criar um Grupo de Alto Nível para o desenvolvimento de vacinas e produtos terapêuticos em conjunto pelos dois países

BBC

A presidente Dilma Rousseff telefonou nesta sexta-feira para seu colega americano, Barack Obama, para discutir maneiras de aprofundar a colaboração no combate ao zika vírus e no desenvolvimento de uma vacina. Segundo a Casa Branca, ambos discutiram suas preocupações sobre o avanço da doença no continente.

De acordo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência brasileira, Dilma e Obama se comprometeram em criar um Grupo de Alto Nível entre Brasil e Estados Unidos para desenvolver vacinas e produtos terapêuticos
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil - 28.1.16
De acordo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência brasileira, Dilma e Obama se comprometeram em criar um Grupo de Alto Nível entre Brasil e Estados Unidos para desenvolver vacinas e produtos terapêuticos

"Os líderes concordaram com a importância de esforços de colaboração para aprofundar nosso conhecimento, avançar em pesquisa e acelerar o trabalho para desenvolver melhores vacinas e outras tecnologias para controlar o vírus", diz nota do governo americano.

O vírus, que já se espalhou por ao menos 24 países do continente, foi ligado a microcefalia em bebês. No Brasil, há 3.448 mil casos suspeitos sob investigação pelo Ministério da Saúde – segundo o órgão, já são 270 ocorrências confirmadas da má-formação.

De acordo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência brasileira, Dilma e Obama se comprometeram em criar um Grupo de Alto Nível entre Brasil e Estados Unidos para desenvolver vacinas e produtos terapêuticos, que terá como base a cooperação já existente entre o Instituto Butantan e o Instituto Nacional de Saúde (NIH, na sigla em inglês) para pesquisa e produção de vacina contra a dengue.

Estão previstos novos contatos entre o Departamento de Saúde americano e o ministro da Saúde brasileiro para aprofundar a cooperação, segundo a Secretaria de Comunicação Social.

O avanço do zika vírus em vários países latino-americanos e o surgimento de casos nos Estados Unidos vêm preocupando o governo americano, que já emitiu um alerta orientando mulheres grávidas a evitar viajar para locais afetados.

Na quinta-feira, a OMS (Organização Mundial da Saúde) disse que o avanço do zika é explosivo e convocou um comitê de emergência para enfrentar o surto.

Ainda de acordo com o comunicado da Casa Branca, Dilma confirmou sua presença na reunião de cúpula sobre segurança nuclear que será realizada em Washington em 31 de março e 1º de abril.

Desenvolvimento de vacina
Nesta semana, cientistas americanos afirmaram à BBC que pode levar uma década até que a vacina desenvolvida por eles esteja disponível ao público.

Nos EUA, a busca pela vacina está sendo liderada por pesquisadores da Universidade do Texas, que visitaram o Brasil para pesquisar e coletar amostras.

Segundo eles, ainda que possam desenvolver uma vacina para testes em até dois anos, podem ser necessários dez anos para que ela seja aprovada por órgãos reguladores.

Leia tudo sobre: DilmaObamaiGVigilantevacinadenguezica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas