Com 44% de aumento, Bahia tem disparada de suspeita de microcefalia por zika

Em apenas sete dias, número de casos passaram de 312 para 450 no Estado; Paraíba e Ceará também tiveram grande alta
Foto: Edmar Melo JC Imagem
Ministério da Saúde confirmou quatro mortes por microcefalia relacionados ao zika vírus no País

A Bahia teve alta de 44% nos casos suspeitos de microcefalia causada por zika vírus em apenas sete dias. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (12) no último boletim do Ministério da Saúde. 

O balanço mostra que até o último sábado (9) foram notificadas 450 ocorrências de malformação por infecção do vírus no Estado. Na semana passada, dados computados até 2 de janeiro mostravam que eram 312 casos suspeitos, ou seja, aumentaram 138. As investigações da pasta começaram em 22 de outubro de 2015.

O segundo Estado que teve mais aumento foi a Paraíba: o número passou de 504 para 569 ocorrências em uma semana. A seguir vem Ceará, de 134 casos para 192. Logo após está Pernambuco, o Estado com mais casos registrados de microcefalia causada por zika vírus, de 1.185 casos para 1.236. Nesta lista também está o Rio Grande do Norte (de 169 para 181), Alagoas (de 139 para 149), Sergipe (de 146 para 155), Mato Grosso (de 123 para 129) e Rio de Janeiro (de 118 para 122).

O novo boletim do Ministério aponta que houve um aumento de 11% desses casos no Brasil inteiro em uma semana. As ocorrências chegaram a 3.530  – casos notificados até o último sábado. Na outra semana, até 2 de janeiro, eram 3.174.

Além disso, a pasta também confirmou quatro mortes no Rio Grande do Norte por malformação congênita relacionados ao zika vírus. Outros 46 óbitos de bebês com microcefalia que tenham possível relação com o vírus estão sendo investigados, todos na região Nordeste.

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/igvigilante/2016-01-12/com-44-de-aumento-bahia-tem-disparada-de-suspeita-de-microcefalia-por-zika.html