de gripe A H1N1 pela OMS) entre alunos e professores. Além de São Paulo e Distrito Federal, nesta quarta os Estados do Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul também decidiram adotar a medida." / Gripe suína leva 4 Estados e DF a adiarem volta às aulas - Gripe Suína - iG" / de gripe A H1N1 pela OMS) entre alunos e professores. Além de São Paulo e Distrito Federal, nesta quarta os Estados do Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul também decidiram adotar a medida." /

Gripe suína leva 4 Estados e DF a adiarem volta às aulas

O reinício das aulas de mais de 11 milhões de alunos em quatro Estados brasileiros e no Distrito Federal foi adiado para tentar frear a disseminação da gripe suína (rebatizada http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_topde gripe A H1N1 pela OMS) entre alunos e professores. Além de São Paulo e Distrito Federal, nesta quarta os Estados do Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul também decidiram adotar a medida.

Redação |

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, a prefeitura também prorrogou as férias nas escolas municipais e o recesso de 254 creches.

A medida também foi adotada pelos municípios de Duque de Caxias, Nova Iguaçu e Niterói, que fazem parte da Grande Rio e contam com de 183 mil alunos.

Com uma rede de 168 escolas e 92 mil alunos, Duque de Caxias, que começaria suas aulas no dia 3 de agosto, decidiu prorrogar as férias por dez dias. Niterói, que tem 26 mil alunos, também iniciaria as aulas nesta segunda-feira (03/08), mas prorrogou as férias escolares por mais uma semana; Nova Iguaçu, que encerraria suas férias no dia 5, adiou o início das aulas de seus 65 mil alunos, para o dia 10.

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, a governadora Yeda Crusius divulgou nota nesta quarta-feira informando sobre o prolongamento das férias de cerca de 1,2 milhão de alunos.

Segundo ela, as aulas, que iriam voltar na próxima segunda-feira, só retornarão no dia 17 de agosto. A governadora recomenda que a decisão seja acompanhada pelas escolas municipais, particulares e universidades.

Paraná

O sindicato das escolas particulares decidiu suspender todas as atividades até o dia 10 de agosto. A Prefeitura de Curitiba também adiou as aulas que deveriam começar no próximo dia 4 para o dia 10.

A rede municipal de educação é formada por 175 escolas, com 110 mil alunos, e 168 Centros Municipais de Educação Infantil, com 30 mil crianças atendidas.

A Secretaria Municipal da Saúde recomendou ainda que escolas estaduais e particulares, faculdades e cursinhos pré-vestibulares suspendam suas atividades temporariamente para reduzir os riscos de transmissão do vírus da nova gripe.

São Paulo

Na terça-feira, as escolas estaduais e municipais de São Paulo prorrogaram as férias devido à "gripe suína"  por orientação da Secretaria de Saúde do Estado. As aulas do segundo semestre começarão só no dia 17 de agosto.

As creches da capital também não funcionarão entre os dias 3 e 16 de agosto. Seguindo a mesma orientação, as três universidades estaduais paulistas (Unicamp, USP e Unesp) e as Etecs e Fatecs também decidiram adiar para a mesma data o início das aulas.

Com relação às escolas particulares, universidades públicas e privadas e escolas técnicas, o secretário informou que caberá a cada estabelecimento adotar ou não a recomendação. Conforme apurado pela reportagem do Último Segundo, as escolas particulares ainda estão decidindo se adotam a recomendação.

Entre algumas que já optaram pela prorrogação das férias estão  FGV, Mackenzie, Colégios Renovação, Rio Branco, Santa Cruz e Sion, de acordo com o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo. O mesmo critério foi adotado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que só retornará suas atividades no dia 17 de agosto.

Distrito Federal

No último sábado, as secretarias de Educação e Saúde do Distrito Federal também decidiram adiar em uma semana o reinício das aulas da rede pública , ficando o retorno para o dia 3 de agosto.

[A decisão pelo adiamento] é uma atitude preventiva, que não foi tomada a partir de um fato novo em relação à gripe, mas que visa a dar condições de que os professores recebam todas as informações necessárias para que saibam como agir diante dos casos de gripe, explicou o secretário-adjunto de Saúde do Distrito Federal, Florêncio Cavalcante.

Veja as diferenças entre a nova gripe e a gripe comum:

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: aulaseducaçãogripe suínasaúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG