(rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) começou a ceder no Chile, onde foram registradas 40 mortes e mais de 10.000 contágios confirmados, dois meses depois do anúncio do primeiro caso, disse neste sábado a subsecretária de Saúde, Jeanette Vega." / Gripe suína começa a ceder no Chile, segundo autoridades - Gripe Suína - iG" / (rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) começou a ceder no Chile, onde foram registradas 40 mortes e mais de 10.000 contágios confirmados, dois meses depois do anúncio do primeiro caso, disse neste sábado a subsecretária de Saúde, Jeanette Vega." /

Gripe suína começa a ceder no Chile, segundo autoridades

SANTIAGO - A gripe suína http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_top(rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) começou a ceder no Chile, onde foram registradas 40 mortes e mais de 10.000 contágios confirmados, dois meses depois do anúncio do primeiro caso, disse neste sábado a subsecretária de Saúde, Jeanette Vega.

AFP |

"Estamos saindo da primeira onda de inverno e estamos com uma clara diminuição dos casos na região metropolitana e no sul, e em um período de estagnação na região norte, mas esperamos que nas próximas semanas comecem a diminuir os casos", ressaltou Vega à radio Cooperativa.

"Nossos dados continuam sendo bastante bons se comparados a todos os dados internacionais", acrescentou a funcionária.

Segundo um último registro do Ministério da Saúde, divulgado na sexta-feira, o Chile confirmou 10.926 casos e 40 mortos, com uma taxa de mortalidade de 0,4%. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a taxa de mortalidade média é de 0,5%.

No dia 7 de julho a presidente chilena, Michelle Bachelet, concedeu novas prerrogativas às autoridades de saúde, como a possibilidade de suspender espetáculos ou de controlar a entrega de antivirais, em um novo decreto para enfrentar a epidemia de gripe suína.

Essa medida se somou à primeira, adotada em meados de junho, com a qual foram concedidos cerca de 30 milhões de dólares para a contratação de pessoal extra e para a compra de antivirais.

Leia também:


Leia mais sobre gripe suína

    Leia tudo sobre: chiledoençagripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG