SÃO PAULO - A quarta morte em decorrência da gripe suína no Brasil (rebatizada http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.html target=_topde gripe A H1N1) foi registrada nesta terça-feira em São Paulo. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, a vítima é um homem de 28 anos.

Agência Brasil
A gripe já causou quatro mortes no País

De acordo com a nota da secretaria, o paciente apresentou febre, dor de cabeça, náusea, vômito, tosse e congestão nasal no dia 1 de julho, tendo procurado o serviço médico no dia 4, quando foi internado no Hospital de Clínicas de Botucatu.

No dia 7 de julho seu estado se agravou e ele foi encaminhado para a UTI, onde morreu no dia 10, última sexta-feira. Este é o segundo caso de morte por causa da doença em São Paulo.

Durante a internação, a Secretaria de Saúde informa que foram investigadas doenças como pneumonia bacteriana grave e leptospirose.

Ainda de acordo com a secretaria, a investigação inicial indica que o paciente teve contato com argentinos e chilenos que estavam no País. Entretanto, em nota, o Ministério da Saúde informa que, como a origem da infecção não está confirmada,  este é o segundo caso de morte em que a forma de transmissão do vírus ainda está sendo investigada.

Assim, até o momento, o Ministério da Saúde diz que não tem evidências para declarar transmissão sustentada do vírus entre pessoas dentro no território brasileiro. 

O comunicado do Ministério também diz que o governo vem se antecipando a eventuais mudanças no cenário da doença no Brasil e mantém uma rede bem preparada e estruturada para enfrentar a nova gripe, com novas recomendações para tratamento, internação e realização de exames em pacientes com sintomas graves de gripe e monitoramento de casos suspeitos.

A nota também ressalta que a maioria absoluta das pessoas infectadas pela nova gripe manifesta sintomas leves, parecidos com os da gripe comum, e se recupera rapidamente. A letalidade média da doença no mundo (0,45%) é igual à da gripe sazonal.

O Ministério orienta a população para que, ao sentir sintomas de gripe (febre, tosse, coriza e dores de garganta, de cabeça ou pelo corpo), procure o serviço de saúde mais próximo, para avaliação de um médico.

Mortes no Brasil

A terceira morte em decorrência da "gripe suína" no Brasil foi divulgada nesta segunda-feira no Rio Grande do Sul. Um menino de nove anos , portador de uma doença crônica, morreu no dia cinco de julho no Hospital das Clínicas de Porto Alegre. Ele havia sido infectado pelo seu irmão, que pegou a doença de uma professora que viajou para a Argentina.

No dia 10 de julho foi confirmada a segunda morte , que ocorreu dia 30 de junho. A vítima foi uma menina de 11 anos, na cidade de Osasco, em São Paulo. O pai da garota está internado no Instituto de Infectologia Emílio Ribas para tratamento da doença. Nesta terça, foi divulgado que seus primos também foram contaminados .

A primeira morte confirmada por "gripe suína" no País  foi registrada no final de junho, no Rio Grande do Sul. Um caminhoneiro de Erechim, que havia voltado de uma viagem de sete dias à Argentina, começou a apresentar os sintomas da doença logo chegou ao País. Mesmo tendo sido assistido, ele não resistiu e morreu.

Segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde na última sexta-feira, 52 novos casos da gripe foram confirmados. Com isso, o Brasil registra 1027 casos da doença .

Até 8 de julho, eram acompanhados 2.973 casos suspeitos no País. Outros 1.538 casos haviam sido descartados.


Veja também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.