rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) nos últimos dias no Paraná é um indicativo de que a fase mais crítica de transmissão do vírus já passou. A avaliação é do secretário de Saúde do estado, Gilberto Martin." / rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) nos últimos dias no Paraná é um indicativo de que a fase mais crítica de transmissão do vírus já passou. A avaliação é do secretário de Saúde do estado, Gilberto Martin." /

Para secretário do Paraná, menor número de casos de gripe suína indica que fase crítica passou

Curitiba - A queda no registro de casos graves e internações devido às complicações da gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_toprebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) nos últimos dias no Paraná é um indicativo de que a fase mais crítica de transmissão do vírus já passou. A avaliação é do secretário de Saúde do estado, Gilberto Martin.

Agência Brasil |


Para ele, a preocupação e os cuidados da população em relação à doença e o pronto atendimento por parte das autoridades do setor de saúde foram determinantes.

Em Curitiba, de acordo com balanço da Secretaria Municipal de Saúde, foi registrada queda de 34% nos atendimentos de casos de influenza A (H1N1) ¿ gripe suína  entre as semanas de 26 de julho a 1º de agosto e de 9 a 15 de agosto.

Os atendimentos na rede municipal, que chegaram a  5, 2 mil  de 26 de julho a 1º de agosto,  caíram para  3,4 mil  no período de  9 a 15 de agosto.  Devido às complicações da nova  gripe, ocorreram  30 mortes, do dia 16 de julho a 11 de agosto, de pacientes com idade média de 36 anos. A secretaria municipal investiga outras 22 mortes por doença respiratória aguda grave e  confirmou três por gripe comum. No total, são 55 mortes confirmadas por gripe ou sob investigação.

Segundo Martin, o Ministério da Saúde  enviou para o Paraná  83 mil tratamentos para a influenza A. Desse total, mais da metade foi distribuída  para as regionais de saúde em todo o estado, que têm reserva do remédio. A central de distribuição de Curitiba ainda tem também uma grande quantidade em estoque e toda semana recebe um novo lote, o que descarta qualquer possibilidade de faltar medicamento no Paraná , garante o secretário.

Martin avalia também como medida correta, tomada para evitar a propagação da doença, a suspensão das aulas por duas semanas em todas as escolas da rede pública do estado. Ele tranquiliza os pais no retorno às aulas, mesmo com a queda na temperatura e as chuvas dos últimos dias, e lembra que em  todas as escolas, em todos os turnos,  há um  profissional, o cuidador da gripe preparado para tomar as medidas que julgar necessárias.

Os 107 óbitos e 1.883 casos confirmados  até agora no Paraná podem ser considerados números significativos, mas o secretário explica que o estado apresenta um quadro real da doença porque os exames da influenza A são feitos no Laboratório Central (Lacen).

Enquanto os três outros laboratórios do Ministério da Saúde realizaram 6 mil exames, o Lacen divulgou até agora  3,9 mil resultados", observou o secretário.

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suínaparanásecretário de saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG