rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS), as grávidas poderão ser liberadas do trabalho por 30 dias. A oposição na Câmara promete apresentar um requerimento de urgência solicitando dispensa das 4 milhões de gestantes brasileiras de suas atividades profissionais, atuem elas no serviço público ou na iniciativa privada." / gripe suína - Gripe Suína - iG" / rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS), as grávidas poderão ser liberadas do trabalho por 30 dias. A oposição na Câmara promete apresentar um requerimento de urgência solicitando dispensa das 4 milhões de gestantes brasileiras de suas atividades profissionais, atuem elas no serviço público ou na iniciativa privada." /

Oposição quer liberar grávidas do trabalho por causa da gripe suína

Grupo populacional que apresenta maior índice de letalidade diante do vírus da gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_toprebatizada de gripe A H1N1 pela OMS), as grávidas poderão ser liberadas do trabalho por 30 dias. A oposição na Câmara promete apresentar um requerimento de urgência solicitando dispensa das 4 milhões de gestantes brasileiras de suas atividades profissionais, atuem elas no serviço público ou na iniciativa privada.

Congresso em Foco |

O documento já está pronto. Contudo, a minoria vai aguardar até este fim de semana para que o governo adote a providência. Caso contrário, o pedido será feito no início da próxima semana. 

Nas grávidas, o grau de letalidade é de 14% contra 0,5% dos outros grupos, explica o deputado Alceni Guerra (DEM-PR), autor da proposta e ex-ministro da Saúde. O parlamentar paranaense, que é médico, quer estender a todas as gestantes o benefício de servidoras do Congresso e de diversos governos do País.

Leia reportagem completa no Congresso em Foco

    Leia tudo sobre: congresso em focogripegrávidas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG