de gripe A H1N1 pela OMS) aumentou para 34, segundo o Ministério da Saúde. Mais cinco óbitos foram divulgados nesta quinta-feira: 16 ocorreram no Rio Grande do Sul, 12 em São Paulo, cinco no Rio de Janeiro e um no Paraná." / gripe suína sobe para 34, informa Ministério da Saúde - Gripe Suína - iG" / de gripe A H1N1 pela OMS) aumentou para 34, segundo o Ministério da Saúde. Mais cinco óbitos foram divulgados nesta quinta-feira: 16 ocorreram no Rio Grande do Sul, 12 em São Paulo, cinco no Rio de Janeiro e um no Paraná." /

Número de mortos por gripe suína sobe para 34, informa Ministério da Saúde

BRASÍLIA - O número de mortes em decorrência da gripe suína (rebatizada http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_topde gripe A H1N1 pela OMS) aumentou para 34, segundo o Ministério da Saúde. Mais cinco óbitos foram divulgados nesta quinta-feira: 16 ocorreram no Rio Grande do Sul, 12 em São Paulo, cinco no Rio de Janeiro e um no Paraná.

Redação |

O Ministério da Saúde informa que, no período de 25 de abril a 18 de julho, foram registrados 1.566 casos de "gripe suína" no Brasil. Neste mesmo período, o ministério diz que foram notificados 8.328 casos suspeitos de algum tipo de gripe no País, com maior concentração nas regiões Sul e Sudeste.

AE

Mulher usa máscara em hospital para se proteger

Além dos casos mencionados de "gripe suína", 528 ocorrências são de gripe comum e, por causa dessa doença, 17% dos pacientes apresentaram dificuldade respiratória moderada ou grave. Até o momento, esse índice é menor em pacientes com a "gripe suína" (14,2%).

O comunicado do ministério informa que a faixa etária mais acometida tanto pelo vírus da "gripe suína" quanto pelo da influenza sazonal é a de 20 a 49 anos, em mais de 60% dos casos. A análise das ocorrências confirmadas de síndrome respiratória aguda grave evidencia que esse quadro é mais frequente em mulheres (55,72%). 

Em nota, o ministério informou que, de acordo com as indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS), não está mais indicada a identificação individual de cada caso da nova gripe, e sim, a notificação, investigação, diagnóstico e tratamento dos casos com síndrome respiratória aguda grave e dos grupos de risco, assim como a identificação de novos focos da doença no País.

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG