rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS), escolas do Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/08/17/aulas+recomecam+em+tres+estados+e+na+cidade+do+rio++7909932.html target=_topvoltam às aulas. A orientação, porém, é que a qualquer sintoma de gripe as crianças sejam mantidas em casa." / rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS), escolas do Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/08/17/aulas+recomecam+em+tres+estados+e+na+cidade+do+rio++7909932.html target=_topvoltam às aulas. A orientação, porém, é que a qualquer sintoma de gripe as crianças sejam mantidas em casa." /

Na volta às aulas, orientação a pais é que criança com sintoma de gripe fique em casa

SÃO PAULO - ¿Seu filho está bem? Teve gripe, resfriado ou contato com alguém doente?¿. Essa é a pergunta feita pela diretora do Centro de Educação Infantil (CEI) Indianópolis, Célia Regina Nogueira, a todos os pais que chegam à escola nesta segunda-feira. Diante da negativa deles, as crianças são autorizadas a entrar na creche. Após duas semanas a mais de férias por causa da ¿gripe suína¿ (http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_toprebatizada de gripe A H1N1 pela OMS), escolas do Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/08/17/aulas+recomecam+em+tres+estados+e+na+cidade+do+rio++7909932.html target=_topvoltam às aulas. A orientação, porém, é que a qualquer sintoma de gripe as crianças sejam mantidas em casa.

Lecticia Maggi, repórter do Último Segundo |

AE
Alunos voltam às aulas nesta segunda-feira

Alunos voltam às aulas nesta segunda-feira

A coordenadora da creche Ana Cristina Galdenzi explica que orienta os responsáveis a comunicarem os professores sobre qualquer sinal de resfriado, já que com as crianças mais novas o controle da doença é mais difícil de ser realizado. Com os maiores conseguimos conversar, mas, com os pequenos, mesmo que a gente lave as mãos, eles sempre estão se abraçando e beijando, afirma.

Para a cabeleireira Maria Aparecida Vieira, de 34 anos, que foi deixar a filha Maria Clara, de três anos, na creche, a responsabilidade maior de evitar o contágio é dos pais. Se tiver com sintoma, tem que ficar em casa para não levar para os outros. No meu salão, entrou uma cliente resfriada e pedi para ela usar a máscara, afirma.

A bióloga Luci Kiemi, de 43 anos, mãe de Mariana, de seis anos, além de conversar com os professores, deixou um bilhete na mochila da filha esclarecendo que ela estava espirrando muito, mas não tinha gripe suína. Ela está com processo alérgico de rinite e bronquite, que vem desde antes das férias, explica.

Lecticia Maggi

Célia (à esquerda) e Ana Cristina questionam pais

Luci conta que, por não ter quem cuidasse da filha nos 15 dias de férias forçadas, teve que levá-la para a casa da avó, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Ela chorava de saudade e foi super complicado. Acho que essa medida foi feita só para o governo se isentar de responsabilidade. Outras doenças matam muito mais, afirma ela, que comemorou a volta às aulas.

Preocupada, a auxiliar administrativa Adriana Silva, de 31 anos, mãe de Gustavo, de um ano, procurou um médico na última sexta-feira mesmo sem o filho apresentar qualquer sintoma de gripe. Falei com o pediatra para fazer um trabalho preventivo e ele receitou Redoxon e um outro remédio, diz. Na mochila do filho, os vidros e as receitas explicando como eles devem ser administrados. Agora, ela considera que Gustavo ficará com a "imunidade maior".

Já a engenheira Cláudia Andrade, de 34 anos, disse que entregou a filha Maria Luísa, de 3 anos, com o coração na mão. É muito preocupante, a gente acha que está imune até acontecer com alguém próximo, conta, acrescentando que ficou alerta após ter um caso suspeito de gripe suína na família. "O vírus já está no ar, se propagando, não depende mais de viajar para fora. A gente deixa nas mãos de Deus e pede que não aconteça nada com os nossos filhos", afirma.

Por precaução, Cláudia afirma que recomendou à filha lavar as mãos várias vezes, não dividir o lanche com os amigos e sempre passar o seu novo item de higiene: o álcool em gel.

Medida preventivas

Na CEI Indianópolis, a diretora Célia Regina explica que as medidas de higiene foram reforçadas, como limpar os fraldários com álcool após a troca dos bebês e lavar frequentemente as mãos das crianças. Além disso, a preferência agora é por brincadeiras ao ar livre. O sol desta segunda-feira favoreceu que isso acontecesse.

Lecticia Maggi

Crianças brincam no parquinho na CEI Indianópolis

O motorista de van escolar José Ferreira, de 56 anos, também se engajou na luta contra a disseminação do vírus. Antes das aulas voltarem, limpou todo o veículo. "Passei álcool em tudo e já falei com os pais que se tiver gripado não é para mandar", diz.

Verba para a higiene

Segundo o secretário estadual de Educação, Paulo Renato Souza, foram destinados R$ 7 milhões para a compra de material de higiene para as escolas da rede pública.

Os recursos devem ser usados na compra de sabonete líquido, papel toalha e copos plásticos. "Asseguramos que todas as escolas estaduais, hoje, devem ter o material", disse, ao acompanhar a chegada dos alunos à Escola Estadual Dr. Alberto Cardoso de Mello Neto, no Tucuruvi, zona norte da capital paulista.

De acordo com a secretaria, durante o recesso escolar, foi realizada uma videoconferência para orientar os 210 mil professores da rede sobre o vírus Influenza H1N1. A Secretaria também enviou 36 mil cartazes para as 5.500 escolas estaduais com dicas sobre como evitar a contaminação.

As escolas também colocarão à disposição dos alunos álcool gel e copos descartáveis, e alguns recomendam que as crianças não compartilhem brinquedos, objetos pessoais e material escolar. Outros pretendem evitar jogos coletivos, suspenderam atividades em locais fechados e estão desligando os aparelhos de ar-condicionado.

Rio de Janeiro

No Rio, a prefeitura optou pela volta parcial das aulas na rede municipal. Alunos da 4ª à 9ª série do ensino fundamental retornam hoje, enquanto os de 1ª a 3ª série voltam só dia 23. Outra recomendação é que alunas, funcionárias e professoras gestantes permaneçam afastadas, pelo menos, até o fim do mês.

Ainda no Rio, a Universidade Federal Rural (UFRRJ) decidiu adiar novamente o reinício das aulas. O segundo semestre do ano letivo deve voltar no dia 31.

A Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) decidirá hoje a data de retorno dos alunos - uma possibilidade é o dia 24. Na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), o calendário acadêmico já havia sido alterado por causa de uma greve no ano passado.

*Com informações da agência Estado

Escolas distribuem cartilha na volta às aulas em 4 Estados:

Veja como foi a volta às aulas no Rio de Janeiro:

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína


    Leia tudo sobre: aulasescolasgripe suínario de janeirorio grande do sulsão paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG