rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) levou à prorrogação, por duas semanas, das férias escolares na rede estadual de São Paulo. A avaliação é do professor de saúde pública da Universidade de São Paulo (USP), Gonzalo Vecina." / rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) levou à prorrogação, por duas semanas, das férias escolares na rede estadual de São Paulo. A avaliação é do professor de saúde pública da Universidade de São Paulo (USP), Gonzalo Vecina." /

Medo da sociedade levou à prorrogação das férias escolares, diz especialista

SÃO PAULO - O medo da sociedade em relação à gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_toprebatizada de gripe A H1N1 pela OMS) levou à prorrogação, por duas semanas, das férias escolares na rede estadual de São Paulo. A avaliação é do professor de saúde pública da Universidade de São Paulo (USP), Gonzalo Vecina.

Agência Brasil |

Segundo ele, a sociedade vem tratando com muito temor uma coisa [a gripe] que todo ano nós temos. Esse medo teria pressionado as autoridades a adiar a volta às aulas. É lógico que a primeira morte de um aluno em uma escola teria um custo para o político que não tivesse suspendido as aulas, ressaltou.

O professor acredita que a medida tem eficácia duvidosa para impedir a disseminação da doença, uma vez que outros ambientes propícios ao contágio, como cinemas, teatros e metrôs, continuam sendo frequentados. Nós estamos evitando que as crianças em idade escolar tenham [gripe suína] na escola, porque vão continuar tendo em casa e nas outras atividades que elas vão continuar fazendo, afirmou.

Para Vecina, é importante que a população compreenda que a doença é muito semelhante à gripe sazonal e tem baixa letalidade. Aqui na cidade de São Paulo, dizem as estatísticas, morre um motoqueiro por dia no trânsito. Então, da mesma maneira que eu estou proibindo os alunos de irem à escola, eu deveria proibir moto. Está morrendo mais gente de motocicleta, como sempre, do que de gripe, ressaltou.

No entanto, de acordo com o professor, os governos estadual e federal estão respondendo mais ou menos bem ao problema da epidemia. Ele destacou a medida de evitar o contato de gestantes com pessoas gripadas como uma decisão muito positiva, que deveria ser adotada também para a gripe comum.

Um dos maiores desafios em relação à doença, na opinião do professor, é fazer um acompanhamento que permita descobrir o motivo de determinadas especificidades, como a maior mortalidade entre gestantes e pessoas jovens.

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG