O secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, afirmou que o governo federal iniciou negociações com empresas que desenvolvem vacina para influenza A (H1N1), a chamada gripe suína. Ele disse que não se sabe quanto poderia ser comprado pelo País.

Mas não será barata, adiantou. Além da compra, parte da demanda brasileira seria atendida pela produção no Instituto Butantã.

A estratégia vai obrigar o governo a comprar vacina de gripe comum em 2010, para permitir que parte dos esforços do Butantã fique voltada para a produção da vacina contra gripe suína. O governo definirá a política a ser adotada na semana que vem. Esses preparativos seriam feitos para uma provável demanda no próximo ano. Trata-se de uma estratégia para uma eventual segunda onda da epidemia, afirmou.

Guimarães contou que o desenvolvimento da vacina contra a influenza A (H1N1) esbarra em dois problemas. O primeiro deles é a capacidade dos fabricantes em abastecer o mercado. Já há um convencimento de que não haverá vacinas para todos no mundo. O segundo está relacionado à dificuldade no seu desenvolvimento: a vacina contra a gripe suína tem rendimento menor do que a da gripe comum nos laboratórios, o que pode atrasar o cronograma para a entrega. Tudo o que está relacionado com vacinas é a médio prazo. Nada é imediato, disse Guimarães. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.