rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS). De acordo com o Ministério da Saúde, 1 milhão de doses da vacina serão compradas prontas do laboratório Sanofi Pasteur, da França, maior produtor de vacinas contra gripe do mundo." / rebatizada de gripe A H1N1 pela OMS). De acordo com o Ministério da Saúde, 1 milhão de doses da vacina serão compradas prontas do laboratório Sanofi Pasteur, da França, maior produtor de vacinas contra gripe do mundo." /

Dezoito milhões de pessoas serão vacinadas até o 1º semestre de 2010

BRASÍLIA - O governo brasileiro pretende vacinar até o fim do primeiro semestre do próximo ano 18 milhões de pessoas contra a gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_toprebatizada de gripe A H1N1 pela OMS). De acordo com o Ministério da Saúde, 1 milhão de doses da vacina serão compradas prontas do laboratório Sanofi Pasteur, da França, maior produtor de vacinas contra gripe do mundo.

Agência Brasil |


Essas primeiras doses chegarão ao Brasil em dezembro deste ano. De acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia e Insumos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, mais 17 milhões de doses da vacinas já estão garantidas para o primeiro trimestre de 2010. Essa segunda remessa foi comprada a granel. A vacina será envasada pelo Instituto Butantã, em São Paulo.

Agência Brasil
Brasília - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, participa do 1º Painel Nacional de Influenza: Balanço e Desafios, sobre medidas relacionadas ao enfrentamento da doença Foto: Elza Fiúza/ABr
O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, participa do 1º "Painel Nacional de Influenza: Balanço e Desafios", sobre medidas relacionadas ao enfrentamento da doença

Guimarães disse que o Ministério da Saúde estuda ainda a importação de mais 15 milhões de doses da vacina contra o vírus Influenza H1N1, caso a Organização Mundial da Saúde (OMS) autorize a redução no mundo da produção da vacina sazonal (contra a gripe comum).

Em reunião com especialistas, o Ministério da Saúde decidiu mapear os grupos prioritários para a vacinação. O recorte poderá ser por categoria profissional, vacinando primeiramente os profissionais de saúde. As mulheres grávidas e portadores de doença do coração também terão prioridades.

A reunião com especialistas serviu ainda para orientar o governo em novas medidas com o objetivo de conter a doença. O infectologista David Uip destacou que a decisão de descentralizar o diagnóstico poderá contribuir para dar maior rapidez à identificação da doença.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, encerrou a reunião com especialistas e disse que a proximidade do Brasil com países da América do Sul é preocupante. Ele destacou que a reunião que ocorrerá em Quito, no Equador, no próximo sábado, tem o objetivo de encontrar soluções integradas entre os países sul americanos para conter o avanço da gripe suína. Entre os assuntos que serão debatidos, o ministro assegurou que o acesso à vacina estará em pauta.

O maior número de casos não está acontecendo na América do Sul. O maior número de casos está acontecendo nos Estados Unidos, no México, no Canadá e nos países mais ricos. Nós aqui estamos no início e eu diria que chegando no pico da disseminação do vírus em alguns países. É claro que há uma preocupação porque o Brasil faz fronteira com vários países da América do Sul e estamos discutindo no próximo sábado em Quito, durante a reunião dos ministros da Saúde da Unasul, que integra todos os países da América do Sul o enfoque principal da questão do acesso à vacina, disse Temporão.

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suínasaúdevacinasvacinação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG