BRASÍLIA - O governo brasileiro pretende vacinar até o fim do primeiro semestre do próximo ano 18 milhões de pessoas contra a gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/gripesuina/2009/04/30/gripe+suina+oms+decide+adotar+a+denominacao+gripe+a+h1n1+5867930.html target=_toprebatizada de gripe A H1N1 pela OMS). De acordo com o Ministério da Saúde, 1 milhão de doses da vacina serão compradas prontas do laboratório Sanofi Pasteur, da França, maior produtor de vacinas contra gripe do mundo.


Essas primeiras doses chegarão ao Brasil em dezembro deste ano. De acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia e Insumos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, mais 17 milhões de doses da vacinas já estão garantidas para o primeiro trimestre de 2010. Essa segunda remessa foi comprada a granel. A vacina será envasada pelo Instituto Butantã, em São Paulo.

Agência Brasil
Brasília - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, participa do 1º Painel Nacional de Influenza: Balanço e Desafios, sobre medidas relacionadas ao enfrentamento da doença Foto: Elza Fiúza/ABr
O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, participa do 1º "Painel Nacional de Influenza: Balanço e Desafios", sobre medidas relacionadas ao enfrentamento da doença

Guimarães disse que o Ministério da Saúde estuda ainda a importação de mais 15 milhões de doses da vacina contra o vírus Influenza H1N1, caso a Organização Mundial da Saúde (OMS) autorize a redução no mundo da produção da vacina sazonal (contra a gripe comum).

Em reunião com especialistas, o Ministério da Saúde decidiu mapear os grupos prioritários para a vacinação. O recorte poderá ser por categoria profissional, vacinando primeiramente os profissionais de saúde. As mulheres grávidas e portadores de doença do coração também terão prioridades.

A reunião com especialistas serviu ainda para orientar o governo em novas medidas com o objetivo de conter a doença. O infectologista David Uip destacou que a decisão de descentralizar o diagnóstico poderá contribuir para dar maior rapidez à identificação da doença.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, encerrou a reunião com especialistas e disse que a proximidade do Brasil com países da América do Sul é preocupante. Ele destacou que a reunião que ocorrerá em Quito, no Equador, no próximo sábado, tem o objetivo de encontrar soluções integradas entre os países sul americanos para conter o avanço da gripe suína. Entre os assuntos que serão debatidos, o ministro assegurou que o acesso à vacina estará em pauta.

O maior número de casos não está acontecendo na América do Sul. O maior número de casos está acontecendo nos Estados Unidos, no México, no Canadá e nos países mais ricos. Nós aqui estamos no início e eu diria que chegando no pico da disseminação do vírus em alguns países. É claro que há uma preocupação porque o Brasil faz fronteira com vários países da América do Sul e estamos discutindo no próximo sábado em Quito, durante a reunião dos ministros da Saúde da Unasul, que integra todos os países da América do Sul o enfoque principal da questão do acesso à vacina, disse Temporão.

Leia também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.