Brasileiro está otimista com Dilma e vê influência de Lula

Pesquisa Vox Populi encomendada pelo iG mostra o que os brasileiros esperam do governo da presidenta eleita

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

O brasileiro chega ao final do ano otimista em relação ao governo Dilma Rousseff , que assumirá o comando do Palácio do Planalto no próximo dia 1º de janeiro. Pesquisa encomendada pelo iG ao instituto Vox Populi mostra que, para a maioria dos entrevistados, a presidenta eleita terá condições de manter as conquistas do atual governo, contará com um quadro econômico favorável e será capaz de dar ao País uma projeção internacional maior que a obtida nos últimos oito anos. Os entrevistados, no entanto, ainda associam essa expectativa de sucesso à influência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no governo. A partir desta quinta até domingo o iG publica reportagens com os resultados da pesquisa.

O levantamento contemplou também o que a maioria dos brasileiros está espera que Dilma priorize a área da saúde , quer que a presidenta eleita mantenha o Enem como mecanismo de avaliação da educação e é contra mudanças nas leis que regem temas polêmicos como aborto, união homossexual e descriminalização das drogas

Segundo o levantamento, 57% dos brasileiros acreditam que Lula terá forte influência sobre o futuro governo – e não apenas apoiará Dilma caso ela necessite, como prega o discurso oficial, e como afirmam que deve acontecer 38% dos entrevistados. Lula, que chega ao final do mandato com índices recordes de popularidade, foi o maior fiador da campanha de Dilma à Presidência.

Entre os atributos que os entrevistados associam à futura presidenta estão a sinceridade (citada por 59% dos participantes), liderança e capacidade de comando (67%), preparo para administrar o País (65%), preocupação com os pobres (65%) e melhores propostas (67%). No Nordeste, todos esses atributos são citados por mais de 70% dos entrevistados. Após a eleição da petista, 81% das pessoas dizem que o Brasil caminha hoje na direção certa – contra 8% que dizem o contrário. O índice chega a 88% no Nordeste.

Para 65% dos entrevistados, Dilma poderá se beneficiar de um cenário econômico mais favorável, já que sua expectativa é de melhoria nesta área durante os próximos quatro anos. Outros 24% acreditam que a economia deve permanecer como está e apenas 6% afirmam prever uma piora no cenário.

O índice de otimistas em relação à economia é maior no Nordeste, onde 72% das pessoas esperam evolução na economia. A maioria das pessoas acredita que Dilma será capaz de fazer um mandato tão bem avaliado como o do atual presidente – outros 22% acham que o mandato será ainda melhor (o índice chega a 28% no Centro Oeste). Entre os entrevistados que disseram ter votado em José Serra (PSDB) nas últimas eleições, 22% acreditam que o governo Dilma será pior que o de Lula – a média da pesquisa, entre os “pessimistas”, é de 10%.

A maioria dos entrevistados acredita também que, mesmo sem a liderança do presidente Lula, o Brasil vai continuar aumentando sua importância no cenário internacional. Essa é a avaliação de 61% das pessoas, enquanto 28% não acreditam nessa evolução. A região onde estão concentrados os eleitores mais otimistas quanto à projeção internacional do País é o Nordeste (67%).

A aliança com o PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, é vista de forma positiva por 43% dos entrevistados. Apenas 9% dizem que a atuação do PMDB no futuro governo será negativa – para 25% ela será apenas “regular”.

A pesquisa ouviu 2.200 pessoas em 161 municípios e foi realizada entre os dias19 e 23 de novembro. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais.

    Leia tudo sobre: governo luladilma roussefftransição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG