Mudança reflete também em real valorizado, além de previsão menor para a inflação e para o salário mínimo

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, divulgou esta terça-feira uma revisão dos parâmetros para a elaboração do Orçamento para 2011. Os novos critérios elevam o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano de 6,5% para 7,5% - a revisão anterior havia sido para 7,2%.

O governo manteve, contudo, a previsão de crescimento do PIB de 5,5% para o ano que vem. A mudança no cálculo foi apresentada por Paulo Bernardo à Comissão Mista de Orçamento (CMO), na Câmara dos Deputados.

As novas estimativas refletem também na valorização do real, além de prever inflação reduzida e reajuste menor para o salário mínimo. A expectativa da taxa de câmbio médio de dólar caiu de 1,80% para 1,76% em 2010 e de 1,84% para 1,75% no ano que vem.

Já o salário mínimo teve uma previsão menor do que os R$ 538,15, que constam na peça orçamentária que tramita no Congresso. De acordo com a nova estimativa do ministério do Planejamento, o reajuste passaria de R$ 510 para R$ 536,88.

A assessoria do ministério justificou, no entanto, que a revisão é “contábil”, uma vez que a negociação do valor ainda será feita pelo Congresso. As centrais sindicais pedem reajuste de R$ 580, considerado irreal pelo governo.

Outra mudança importante é a previsão menor para a inflação em 2010. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) inicialmente era calculado em 5,2%. Mas, segundo o novo estudo, o índice caiu para 5,1%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.