Sangue encontrado em sítio de Bruno não é de Eliza

Delegado espera conclusão de outros laudos para fechar inquérito que já tem 1.300 páginas

Alessandra Mendes, especial para o iG |

A assessoria da Polícia Civil de Minas Gerais informou nesta sexta-feira (23) que o sangue encontrado em um colchão no sítio do goleiro Bruno Souza, em Esmeraldas (MG), não é de Eliza Samudio. O material foi recolhido durante uma perícia realizada no dia 13 de junho.

O delegado Edson Moreira, chefe do Departamento de Investigações (DI) de Belo Horizonte,
afirmou que a prova deve ter sido "plantada" para tirar a credibilidade da investigação. 

A polícia, agora, espera apenas o resultado de outros laudos periciais para entregar o inquérito para o Ministério Público, responsável pela denúncia dos envolvidos. Eles devem ficar prontos até o final da próxima semana.

Apesar do exame referente ao sangue ter dado negativo, Moreira afirmou que tem provas testemunhais e materiais para pedir o indiciamento do goleiro Bruno como mandante do assassinato da ex-amante Eliza Samudio, em um inquérito que já tem mais de 1.300 páginas.

"A investigação está sólida, em fase final, um relatório final está sendo feito e já tem até agora 20 páginas. As provas são fartas e tentar desmerecer testemunhos de pessoas, como o do menor, não adianta. Tudo está calçado em base científica, podem falar o que quiser, a prova está nos autos e já está sendo relatada", afirmou.

    Leia tudo sobre: SANGUECOLCHÃOELIZA SAMUDIO

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG