Polícia vai pedir coleta de material genético de Bruno e amigos

A ideia é comparar DNA dos suspeitos com a mancha de sangue de um homem que também foi encontrada na Rand Rover do jogador

Alessandra Mendes, especial para o iG |

O goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, e amigos dele devem ceder material genético para a comparação com uma mancha de sangue de DNA masculino encontrada na Rand Rover do jogador, apreendida no mês passado. Foram localizadas cinco marcas no interior do veículo, três são do sangue de Eliza Samudio, ex-amante do jogador, uma não apresentou resultado conclusivo e a quinta é de material genético de um homem, possível agressor de Eliza.

O chefe do Departamento de Investigações, Edson Moreira, vai pedir à Justiça autorização para a coleta de material genético do goleiro e também de, pelo menos, mais outras quatro pessoas: Luíz Henrique Ferreira Romão (o Macarrão), Sérgio Rosa Sales Camelo, Cleiton Silva Gonçalves e o adolescente de 17 anos apreendido no Rio de Janeiro. O delegado ainda pode pedir o exame de DNA de outras pessoas que julgar necessário. Com isso a polícia pode chegar ao agressor de Eliza.

O delegado não precisou quando vai fazer o pedido à Justiça, mas isso deve acontecer o mais rápido possível. Seria mais um vestígio para ser anexado às investigações que estão cada vez mais perto do fim. "E o goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, é o único suspeito do desaparecimento e possível assassinato de Eliza " afirmou Edson Moreira.

    Leia tudo sobre: BrunogoleiroFlamengoDNAElisa Samudioassassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG