Polícia utiliza matérias da imprensa como provas no caso Bruno

Uma das entrevistas foi determinante para o desenrolar do caso

Alessandra Mendes, especial para o iG |

Dentre as provas técnicas listadas pela polícia para tentar incriminar os suspeitos de participação no desaparecimento e possível assassinato de Eliza Samudio, estão vídeos e gravações feitas pela imprensa, que acompanha o caso.

Os delegados listaram no relatório final como prova técnica o laudo de áudio de entrevista do tio do adolescente J. de 17 anos, que denunciou o crime à polícia. O tio do menor falou com jornalistas da Rádio Tupi do Rio de Janeiro e deu detalhes de como o sobrinho participou do crime, em relato que foi determinante para a investigação. No mesmo dia da entrevista, a polícia apreendeu o adolescente e pediu a prisão do goleiro Bruno e de seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão.

Também será usado o áudio e vídeo mostrado pelo programa "Fantástico", da Rede Globo, onde Bruno relata com contradições que não tinha conhecimento dos fatos, imputando ao amigo Luíz Henrique Romão (o Macarrão) a responsabilidade do que teria ocorrido com Eliza.

Outras provas técnicas são os vídeos veiculados no "Programa do Ratinho", no SBT, e no programa "Balanço Geral, da TV Record. As imagens usadas pelo SBT mostram Bruno dentro da penitenciária, cantando e falando em processar o Estado. Já a TV Record veiculou falas de Macarrão.

A polícia citou no inquérito ainda a entrevista de Eliza Samudio concedida ao jornal carioca Extra, onde ela acusa Bruno de sequestro e tentativa de aborto. Além do áudio da entrevista do irmão de Dayanne (mulher do goleiro Bruno) concedida à Rádio Itatiaia, onde Diego Rodrigues do Carmo particulariza a participação da irmã no crime.

    Leia tudo sobre: entrevistasBrunoEliza Samudio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG