Polícia diz que laudos provam primeira versão contada por menor

Ligações feitas entre os acusados perto da casa de Bola e GPS do carro de goleiro corroboram o primeiro depoimento de adolescente

Alessandra Mendes, especial para o iG |

O delegado Edson Moreira disse nesta sexta-feira (30) que o fato de o adolescente J., primo de Bruno, ter alterado a primeira versão que deu para o crime não modifica seu relato inicial. "Ele pode ter mudado o primeiro depoimento [no qual descrevia o assassinato de Eliza], mas nós temos os laudos que provam o que foi dito anteriormente pelo menor”, afirmou Moreira, se referindo ao cruzamento das antenas de celulares dos acusados perto do local onde teria ocorrido o crime.

De acordo com o inquérito, há várias ligações entre Luiz Henrique Romão, o Macarrão, Bruno e o menor perto do sítio de Marcos Aparecido dos Santos, o Bola.

Além disso, o delegado disse que o adolescente deu detalhes do sequestro de Eliza que conferem com as provas pericias coletadas no laudo do GPS do carro do goleiro Bruno.

Moreira também citou que o adolescente, após o primeiro depoimento, negou que tenha conhecido Bola – citado pelo jovem como o assassino de Eliza.

No entanto, de acordo com o delegado, ao descrever o ex-policial em seu primeiro depoimento, o jovem disse que ele tinha uma falha na arcada dentária superior. "A defesa tentou desqualificar isso, dizendo que Bola tinha quebrado o dente no transporte da penitenciária. Mas foi feito exame de corpo de delito que confirmou que ela já tinha a falha".

    Leia tudo sobre: BOLABRUNOELIZADEPOIMENTOLAUDOS

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG