Perito contratado por defesa diz que prova inocência de Bruno

O médico Sanguinetti afirmou que as pessoas se "surpreenderão" nesta quarta-feira e que vai mostrar provas para inocentar goleiro

Camila Dias, de Contagem (MG) |

Uma perícia paralela contratada pela defesa do goleiro Bruno Fernandes, suspeito de participar do desaparecimento da ex-amante Eliza Samudio, apresenta nesta quarta-feira resultados de análises feitas a partir de supostas provas recolhidas em Minas Gerais.

Nesta quarta-feira, às 14h, o médico e perito George Sanguinetti, contratado por advogados do jogador prestará depoimento por carta precatória na 2ª Vara Criminal do Fórum de Maceió e apresentará documentos sobre provas supostamente encontradas em sítio de Bruno, em Esmeraldas (MG) e na casa do ex-policial civil, Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, em Vespasiano (MG).

O advogado do goleiro, Ércio Quaresma, embarcou na noite desta terça-feira para Maceió (AL), onde se encontrará com Sanguinetti.

Em entrevista ao IG , o perito afirmou que as pessoas se “surpreenderão”. “Amanhã (quarta-feira) eu vou apresentar provas de que o inquérito foi direcionado e que o goleiro é inocente”, afirmou. Sanguinetti deve se basear em artigos do Código de Processo Penal, que tratam de falsidade documental e exclusão de provas ilícitas ou colhidas de maneira inconstitucional. A defesa do goleiro vai insistir para que delegados que trabalharam nas investigações deponham e deve pedir intervenção do Ministério Público, alegando que algumas provas foram feitas de maneira “falsa” pela Polícia Civil com o simples objetivo de incriminar o atleta, sua ex-mulher, a ex- namorada e os amigos que estão presos.

Sanguinetti também atuou no caso da morte de Paulo César Farias e foi contratado pela defesa do pai e madrasta de Isabella Nardoni, que foi morta em 2008.

Além do depoimento do perito em Maceió, outra audiência acontecerá no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira. Cinco testemunhas arroladas pela defesa de Bruno devem ser ouvidas e ainda não há decisão da Justiça sobre a solicitação feita pelos advogados dos acusados. Ércio Quaresma entrou com um pedido de desistência do depoimento de duas testemunhas: a noiva do goleiro, Ingrid Calheiros e o amigo dele, dono de uma agência de carros no Rio, Victor Fernando Vidal. A Justiça mineira ainda não decidiu se os dois serão liberados dos depoimentos. Pelo menos três pessoas devem depor nesta quarta-feira. São testemunhas que devem falar sobre os antecedentes de Bruno.

    Leia tudo sobre: provascaso bruno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG