Pais de Eliza brigam pela guarda de neto

Bebê de quatro meses, suposto filho de Bruno, vira alvo de disputa judicial

Alessandra Mendes, especial para o iG |

A briga antecipada pela guarda da criança de 4 meses, que seria filho de Eliza Samudio com o goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, é apenas o começo do que promete ser uma longa ação judicial para decidir quem vai ficar com a guarda do menino.

Mas a mãe de Eliza, Sônia de Fátima Moura, que mora no Mato Grosso do Sul, não sabia da existência do menino até que o desaparecimento de Eliza veio à tona. Agora diz que quer recuperar o tempo perdido e mais, ter com o bebê o que não teve com a filha. "Fui separada da minha filha muito cedo, por causa de ameaças feitas pelo Luis (pai de Eliza). Agora quero criar o meu neto e ver nele um pedaço vivo da Eliza".

Luís Carlos Samudio também não abre mão de acompanhar o crescimento do neto. Alega que é a pessoa certa para ficar com a criança. "Tenho plenas condições de cuidar do meu neto e tenho certeza que ao meu lado Bruninho vai ser um menino feliz".
Ambos negam que brigam pela guarda do menino por causa da pensão que ele deve receber, caso seja provado que o goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, é seu pai. Do salário do jogador, mais de 200 mil reais, Bruninho teria direito a, pelo menos, 10% por mês. Isso sem contar parte de todos os bens do goleiro.

E a briga pela guarda vem acirrando os ânimos dos pais de Eliza. Agora começaram a desenterrar problemas do passado, na tentativa de, talvez, manchar a imagem um do outro para obter uma vantagem na luta para saber quem fica com Bruninho, hoje com 4 meses, incapaz de entender que é alvo de uma disputa que envolve cifras tão altas.

A mãe de Eliza, Sônia Moura, alega que era ameaçada por Luís, foi obrigada a largar a filha por causa dele, que não se conformava com o fim do relacionamento dos dois. Mas Sônia não soube explicar por que não falava com Eliza há mais de um ano, muito menos porque a filha, com quem teria um bom relacionamento, trocou o número do celular e não passou para ela o número novo. Também não soube dizer o que a filha fazia, como ganhava a vida, e por que Eliza não tinha contado para ela, à época, que esperava um bebê do jogador.

Já Luís é processado por um crime de estupro em Foz do Iguaçú, que teria cometido contra uma menina de apenas 10 anos, fato que ele nega já que, segundo ele, a menina é sua filha, fruto de um relacionamento extra-conjugal. Negou ter ameaçado Sônia, a quem se referiu como uma namorada de adolescência com quem teve uma filha. Filha que criou sozinho e com quem, segundo ele, mantinha contato frequente.

    Leia tudo sobre: goleiro BrunoEliza Samudio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG