"Meu filho é inocente, é só testemunha", diz tio do goleiro Bruno

Carlos Alberto Sales é pai de Sérgio Rosa Sales, primo do ex-atleta do Flamengo. Sérgio é acusado de envolvimento na morte de Eliza Samudio

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Sérgio Rosa Sales, de 23 anos, deve voltar a estudar depois de deixar Penitenciária Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte. A informação é do pai dele, o porteiro Carlos Alberto Sales, 52 anos."Meu filho é inocente, é só testemunha", diz o pai. 

Leia também: Desembargadores libertam primo do goleiro Bruno

Camelo, como Sales é conhecido, é acusado de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver no caso envolvendo Eliza Samudio, ex-amante de Bruno Fernandes de Souza, ex-goleiro que atuava no Flamengo. Camelo é primo de Bruno e teve sua prisão revogada na noite de última quarta-feira (10). A previsão de seu advogado, Marco Antônio Siqueira, é de que Sales deixe a penitenciária por volta de 18h desta quinta-feira (11).

AE
A família de Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro Bruno, espera a sua libertação nesta quinta: "Era humilhante ver ele dessa forma", diz o pai
Familiares do primo de Bruno estiveram durante a manhã na penitenciária em Ribeirão das Neves. As irmãs Cláudia Sales, de 18 anos, e Célia Sales, de 21, além do pai, tinham expectativa de que Camelo fosse liberado por volta de meio dia, como previu o advogado, mas questões burocráticas atrasaram a liberação.

O pai, que é tio de Bruno, disse que o filho passou a ser religioso na cadeia. Ele ficou 400 dias na prisão. Estudante do primeiro ano do Ensino Médio, a expectativa é de que Camelo volte os estudos e também trabalhe. O advogado já havia dito que Sales estava trabalhando dentro da cadeia. “Foram dias muito sofridos. Era humilhante ver ele dessa forma. A expectativa é que ele volte a estudar e trabalhe também”, contou Carlos Alberto, emendando que deseja também a soltura de Bruno. 

O pai ainda revelou que há dois aparelhos de TV dentro da cela e que o filho, antes de ser preso, gostava de navegar na internet.

AE
Sérgio Rosa Sales é interrogado no Fórum de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, em novembro de 2010

O pai também contou que familiares prepararam um almoço para receber o filho. Também esperava por ele a namorada Luciene. A casa, no Bairro Minaslândia, região norte de Belo Horizonte, foi tomada de diversos parentes desde a noite de ontem, quando ficou decidida a soltura, pela 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Belo Horizonte, por três votos a zero dos desembargadores.

O advogado de Camelo explicou que, após a decisão dos desembargadores, era preciso a expedição de um ofício para o Fórum de Contagem, onde tramita o processo de desaparecimento de Eliza. A juíza responsável, Marixa Rodrigues, foi a responsável pela expedição do alvará de soltura, a ser encaminhado para o Fórum de Ribeirão das Neves e, posteriormente, para o presídio.

São acusados por envolvimento no desaparecimento de Eliza oito pessoas. Além de Bruno, Camelo e Luiz Henrique Romão (braço direito do atleta), acusados pelos mesmos crimes; Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é acusado de homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. Já a ex-mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, Wemerson Marques de Souza (Coxinha), amigo do atleta, Elenilson Vitor da Silva, caseiro do sítio do ex-goleiro, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada de Bruno, são acusados de sequestro e cárcere privado. Todos eles irão a juri popular, sem data marcada.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG